Afiliado a:

Sindmepa Informa – 21.02.2016

AGE URGÊNCIA/EMERGÊNCIA

Médicos que trabalham na área de urgência e emergência de Belém decidiram paralisar atividades no próximo dia 25, data marcada pela Prefeitura para a inauguração do HPSM da 14. O movimento é uma reação dos plantonistas à falta de condições de trabalho, reiteradas vezes já tratadas com o prefeito da cidade, incluindo aí problemas de superlotação, estrutura física, falta de materiais, medicamentos e equipamentos. Também reivindica a reposição de perdas salariais dos últimos cinco anos e regularização dos vínculos de trabalho com a Prefeitura.

PUNIÇÕES PARA QUEM?

Em entrevista ao jornal do meio dia da TV Liberal em Belém, o prefeito de Belém foi infeliz em declarações que tentavam desviar o problema da gestão para os profissionais que trabalham no município. Dos professores, disse que são os mais bem pagos do Brasil; quanto aos médicos, indiretamente os culpou pelo caos no HPSM Guamá e ameaçou com punição, acendendo o estopim de uma nova paralisação. Que Belém não é uma “ilha da fantasia”, como ele disse, já sabemos. Mas a verdade é que a gestão não tem respondido minimamente para atenuar os problemas enfrentados. Todos já estamos sendo punidos. Profissionais e munícipes.

CONGRESSO MÉDICO AMAZÔNICO

Com o tema “A contribuição dos profissionais da saúde nos 400 anos de Belém” será entre os dias 24 e 27 de abril, no Hangar, o XVIII Congresso Médico Amazônico. O Sindmepa participa do evento com dois estandes e promove ainda no dia 26.04 um simpósio com temas de interesse da categoria. As inscrições ao Congresso podem ser feitas no site oficial do evento: http://www.congressomedicoamazonico.com.br/inscricoes.php.

FARMÁCIA POPULAR

A validade das receitas para retirar medicamentos do programa Farmácia Popular, tanto nas farmácias públicas quanto privadas, credenciadas ao programa, passou de quatro para seis meses. Isso facilita em muito a vida dos pacientes que precisam de medicamentos de uso contínuo para tratamento de hipertensão, diabetes, asma e outras doenças crônicas.

MENOS BUROCRACIA

O Sindmepa esteve reunido na última quinta-feira, no Ministério Público com representantes da Sespa, Sesma e traumatologistas do SUS para discutir a diminuição da burocracia existente nos pagamentos dos procedimentos. O objetivo é que 30 dias após o pagamento do Ministério da Saúde, a Sespa e Sesma façam a complementação dos honorários, cumprindo assim o acordo firmado entre o Sindicato e as secretarias de saúde do estado e do município, no final de 2011.

 

CAPS

Os três projetos de reforma dos CAPS da prefeitura para que funcionem 24h, todos os dias da semana, inclusive feriados, apresentados para análise e aprovação no Conselho Municipal de Saúde não contemplam o médico na equipe de profissionais nos plantões noturnos e de feriados, pondo em risco a segurança dos pacientes internados que recebem medicação com potencial possibilidade de efeitos colaterais. A falha foi apontada pelo representante do Sindmepa na última reunião do conselho. O secretário de saúde optou por retirá-los da pauta da reunião para revisão.

Deixar um comentário