Afiliado a:

Bettina chama pacientes de córnea para atualização de cadastro

O Serviço de Oftalmologia do Hospital Bettina Ferro de Souza (HUBFS), que pertence ao Complexo Hospitalar da Universidade Federal do Pará (UFPA), convoca cerca de 40 pacientes cadastrados em 2014 para o transplante de córnea à atualização de dados no hospital. Os contatos fornecidos incorretamente pelos pacientes dificultam na agilidade e realização do procedimento cirúrgico. A atualização deve ser feita junto ao Serviço Social de Oftalmologia e representará um crescimento em até 100% no número de cirurgias feitas atualmente. Considerando que o aumento depende também da oferta de córnea. O Pará conta hoje com 1.100 pessoas cadastradas na lista de espera por uma córnea e os cerca 40 cadastrados no Bettina fazem parte dela.

Segundo a assistente social de Oftalmologia, Eliza Monteiro, há um problema sério de fornecimento de dados concedidos pelos pacientes, principalmente os telefônicos. Ela conta que mesmo orientados em atualizarem quando houver mudança de residência ou de número de telefone, dificilmente eles entram em contato com o hospital para fornecerem esse tipo de informação.

“Entre os pacientes cadastrados para o transplante de córnea isso tem sido muito frequente e o problema é que ao não ser feita essa atualização, o que está como primeiro na lista de espera de uma córnea, passará ser o último, se não conseguirmos contato com ele”, lamenta a assistente social.

Ela informa ainda que por causa da falta de atualização do cadastro dos pacientes que estão à espera de uma córnea o Bettina voltou a recorrer ao chamamento deles por meio de correspondência, via Correios. “É importante o fornecimento correto dos números de telefone, porque na região Norte a oferta de córnea ainda é reduzida, se comparada às regiões Sul e Sudeste”, afirma Eliza Monteiro.

transplantecornea-tamarasare-ag (1)

Equipe – Desde o final de 2012, o Serviço de Oftalmologia do Hospital Bettina ajuda a atender a demanda reprimida de pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) que aguarda por um transplante de córnea. Por meio da Portaria 474, o hospital foi credenciado pelo Ministério da Saúde a realizar o procedimento e tornou-se o primeiro Hospital Universitário (HU) da região Norte oferecer o procedimento.

O Bettina conta com três médicos do serviço credenciados a fazerem o transplante de córnea: José Jesu Sisnando, coordenador da equipe; Paula Caluff; e Cristina Coimbra. “A córnea é uma região transparente do olho como se fosse um para brisa de automóvel. Quando ela perde sua transparência – o que pode ocorrer em várias doenças – é preciso trocá-la por uma córnea doadora, para que volte a transparência e a pessoa recupere a visão”, explica Jesu Sisnando.

Jesu reitera que a atualização dos dados é necessária o quanto antes, porque a córnea que é doada tem um tempo de validade de 15 dias e se o paciente apto a recebê-la não estiver com os exames pré-operatórios em mãos ou em dia, certamente perderá a vez na fila de espera.

Toda semana são feitas duas cirurgias de córneas, mas, dependendo da oferta do material e do contato feito com os pacientes, a equipe médica do Bettina pode realizar até quatro procedimentos.

Serviço:
Para fazer a atualização dos dados o paciente cadastrado em 2014 precisa comparecer na sala do Serviço Social de Oftalmologia munido com os documentos pessoais: RG, CPF, cartão do SUS e comprovante de residência, das 8h às 12h e das 14h às 17h. Mais informações pelo telefone (91) 3201-8583.

​Texto: Edna Nunes – Ascom/HUBFS/UFPA

Fotos: Tamara Saré – Arquivo/Agência  Pará.

Deixar um comentário