Afiliado a:

Conselhos regionais de medicina apontam irregularidades em unidades de saúde

Os Conselhos Regionais de Medicina apontaram irregularidades em quase 3 mil postos de saúde em todo o país. Entre as 65 unidades com mais de 100 irregularidades, 22 estão na região norte. Na região metropolitana de Belém, usuários e funcionários relatam que está faltando material básico para o atendimento.

Na unidade do bairro Águas Lindas, em Ananindeua, os banheiros estão sem condições para uso; não tem água nas torneiras e bebedouros; falta maçaneta nas portas. Além da falta de refrigeração que complica a situação dos usuários.

Para a estudante Flávia Veiga, o problema mais grave é a falta de medicamentos. “Não tinha injeção, nem soro. Nada. Vou ter que comprar o remédio, né, fazer o quê? Eu fico imaginando para as pessoas que estão numa situação difícil sem dinheiro“, lamenta.

Em uma unidade de Marituba, também localizada na Grande Belém, a falta de medicamentos é constante, segundo a funcionária administrativa Helen Susy. “Os medicamentos vêm, mas em pouca quantidade“, aponta.

O relatório apresentado pelos conselhos mostra a falta de itens básicos nas unidades básicas de saúde: não havia desfibriladores em 814 unidades; salas de esterilização em 431; toalhas descartáveis em 624; pias e sabonetes em 562 postos. Os conselheiros também apontam que 1.048 das unidades não tinham banheiro para pessoas com deficiência.

O presidente do Conselho Regional de Medicina do Pará (CRM-PA), Paulo Guzzo, comenta que falta compromisso, melhor gestão para resolver os problemas do cotidiano no sistema de saúde. “Cabe a nós fiscalizarmos verificar se realmente as graves irregularidades foram solucionadas“, ressalta.

Já o representante do Conselho Nacional, Carlos Vital, disse que os problemas no sistema básico acaba sobrecarregando a atenção secundária e terciária, prejudicando todo o sistema de saúde.

Notas

O Ministério da Saúde informou que já liberou R$ 15 milhões para a reforma das unidades básicas de saúde nos municípios.

A Secretaria de Saúde de Ananindeua informou que tem feito melhorias no posto de Águas Lindas e que uma reforma geral deve começar em até 60 dias. Em nota, informou também que o abastecimento de medicamentos já foi regularizado.

A Prefeitura de Marituba reconheceu que o posto de saúde está instalado em um prédio não adequado e que está procurando um outro imóvel.

Fonte: G1 / Foto: Rede Liberal

Deixar um comentário