Afiliado a:

Crise das Upas de Ananindeua: Sespa deve R$ 4,5 milhões ao município

Continua difícil a relação entre médicos das UPAs de Ananindeua e a gestão da saúde municipal. Depois de ameaçarem entregar escalas de plantão no final do ano passado, caso o número de plantonistas nas UPAs do Icuí Guajará e Cidade Nova fossem reduzidos, os médicos permanecem trabalhando em condições insalubres de trabalho, sem que suas demandas tenham sido atendidas. A Prefeitura de Ananindeua, que havia decidido manter o número de médicos nas escalas até março, agora prorrogou a decisão até o mês de maio. Dívida do estado com o município dificulta ações.

Nesta quinta-feira, 30, uma nova rodada de negociações, a pedido do Sindmepa,  foi realizada no Ministério Público de Ananindeua, intermediada pela promotora pública Albely Miranda Lobato, tendo a presença de médicos das Upas, o procurador-geral do município, Sebastião Godinho, o secretário de Saúde municipal, Paulo Saint Jean Queiroz de Moraes, conselheiros do Conselho Municipal de Saúde, dos diretores do Sindmepa, João Gouveia e Paulo Bronze, entre outros. Verificou-se pendências em relação às principais queixas da categoria como: falta de segurança, falta de reforma nas instalações, oferta de exames e medicamentos, retaguarda de leitos hospitalares e melhoria na atenção básica de saúde no município.

De acordo com o secretário de saúde de Ananindeua, Paulo Campos, o município passa por graves dificuldades financeiras acentuadas por uma dívida da Sespa em torno de R$ 4,5 milhões. Somente em relação ao funcionamento das Upas, a dívida chega a R$ 3 milhões. Há pendências também em relação a verbas do Samu e Farmácia Básica, o que impossibilita o município de normalizar o fornecimento de remédios e exames.

Diante da insatisfação dos médicos, a gestão apresentou proposta de manter a escala com a equipe completa nos próximos meses de abril e maio e que nesse período haja uma reunião para se tentar resolver as pendências financeiras do estado com o município. O Sindmepa propôs que o MP de Ananindeua provoque o Ministério Público Estadual para uma ampla discussão sobre a dívida da Sespa com os municípios, cujo montante seria de R$ 39 milhões. O Sindmepa também vai pautar o assunto junto ao Conselho Estadual de Saúde.

Deixar um comentário