Afiliado a:

Dieese e centrais sindicais na luta contra a “Reforma da Previdência”

O mau uso do dinheiro público e o desvio de finalidade das verbas da Previdência por parte do governo foram os principais pontos levantados durante a 13ª Jornada Nacional de Debates que teve como tema a Reforma da Previdência. O encontro, promovido pelo Dieese e centrais sindicais, aconteceu nesta terça-feira (14), na sede do Sindicato dos Médicos do Pará e foi mediado pelo diretor do Sindmepa e coordenador sindical do Dieese-Pará, João Gouveia. 

De acordo com o economista Luis Moura, coordenador estadual do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos – Dieese/SE, essa reforma atinge a todos, com exceção dos militares. “A PEC 287 é ampla, profunda e prejudicial. Você terá o menor valor do benefício, um tempo maior para início do período de gozo da aposentadoria, um menor conceito do direito adquirido e uma convergência entre os salários equiparando o tempo de serviço entre todos: homens, mulheres, trabalhadores rurais, trabalhadores urbanos, professores, e demais trabalhadores”.

A justificativa do governo é que a previdência continua sendo o maior ponto que necessita de reforma em virtude do envelhecimento da população. Porém, para o coordenador do Sintepp, Beto Andrade, é comprovado pelo Dieese que a média de idade do nortista gira em torno de 64 anos, e que em geral boa parte desses trabalhadores não vão usufruir da aposentadoria.

Cerca de 70 pessoas participaram da 13ª Jornada Nacional de Debates. Estiveram presentes representantes da CUT, UGT, CTB, CGTB, CSB, Nova Central, Força Sindical, Conlutas e Intersindical.

Manifestação

Pela proposta das centrais sindicais, serão realizadas várias manifestações, panfletagens e distribuição de cartilhas explicando sobre a PEC 287 e o impacto dela sob a população. Uma paralisação nacional dos professores contra a PEC será realizada amanhã (15). Em Belém a ação acontece na Praça da República, a partir das 9 horas.

Deixar um comentário