Afiliado a:

FMB participa do 9º Fórum Iberoamericano das Entidades Médicas

O presidente da Federação Médica Brasileira, Waldir Araújo Cardoso, participa da 9ª edição do Fórum Ibero Americano das Entidades Médicas (Fiem), que é realizado até sábado (04/06), em Coimbra, Portugal. O evento tem como propósito reforçar a rede de intercâmbio para comunicar, cooperar e encontrar um ponto de harmonia sobre a ética médica e a competência profissional entre todas as organizações médicas da América Latina e Península Ibérica.

O destaque do primeiro dia de atividades foi o debate e a aprovação de dois documentos: a Carta de Identidade e Princípios da Profissão Médica Ibero Latino Americana e a Declaração sobre a situação de alerta de saúde pública pelo vírus da Zika. A declaração da Zika é uma resposta à manifestação do pivô espanhol e astro da liga norte-americana de basquete, Paul Gasol, que declarou sua insegurança em participar das Olimpíadas do Rio de Janeiro por causa da Zika.

“As discussões são pontuais e muito relevantes porque promovem a autonomia e o profissionalismo médico, reforçando o quanto a nossa categoria é um dos principais pilares na construção de processos de saúde que elevem a qualidade de vida da população”, declara Waldir Cardoso.

Esta é a primeira vez que o Fórum é realizado na cidade de Coimbra e além da FMB, o Conselho Federal de Medicina (CFM) está presente com os médicos Carlos Vital (presidente) e com os conselheiros Emanuel Fortes Silveira Cavalcanti, Jeancarlo Fernandes Cavalcanti, José Hiran da Silva Gallo e Cláudio Balduíno Souto Franzen; e a Associação Médica Brasileira (AMB), está representada por seu presidente Florentino de Araujo Cardoso Filho, pelo secretário geral Antônio Jorge Salomão e pelo 1º secretário Aldemir Humberto Soares.

Debates

Entre os pontos preparados para o primeiro dia, destaque para a mesa 1 que teve como tema “Medicalização da vida e política de medicamentos”, apresentado por José Manuel Silva, do Bastonário da Ordem dos Médicos (Portugal). Entre os pontos debatidos, atenção para o aumento de gastos com medicamentos no orçamento dos países europeus. Em média passou de 15% (1980) para 30% (2014). De acordo com o apresentado, a indústria farmacêutica demonstra seu poder dominando os anúncios em TV aberta e influenciando a sociedade a consumir – e os médicos a prescreverem – medicamentos. A recomendação da mesa é  que os médicos invistam mais na relação de proximidade e atenção com pacientes e familiares, fazendo com que esta empatia reforce o efeito placebo em detrimento do excesso de medicamentos. Ficou recomendado também mais rigor e critério ao prescrever medicamentos e investir mais na mudança de estilo de vida por sua eficácia na redução da morbidade e mortalidade a longo prazo.

A mesa dois, moderada por representantes médicos de Portugal, Brasil, México, Argentina e Espanha teve como tema: “Saúde e alteração climática na Europa e América Latina”. Destaque para o debate sobre as mudanças climáticas serem uma emergência médica, tendo em vista que influi nos determinantes sociais e no meio ambiente de saúde, com impactos devastadores, principalmente nas populações pobres dos países periféricos. A redução da pobreza foi retirada como a melhor estratégia no combate a esta grave situação. A mesa reconheceu que a comunidade médica é um importante ator e tem grande responsabilidade no enfrentamento da questão das alterações climáticas.

A terceira mesa tratou sobre as contribuições para a Carta de Ética Médica da Fiem e o tema “Sistemas de saúde e direitos humanos relacionados com a Saúde”, que teve a participação do presidente do Conselho Geral de Colégios Oficiais de Médicos (Espanha), Juan José Rodríguez Sendín, foi debatido na quarta mesa, que encerrou o primeiro dia de atividades.

Para sexta-feira (03/06), estão previstas as mesas “A violência de gênero – perspectivas: interprofissionais, os pacientes e o governo”, a mesa “Consequências dos Tratados Comerciais para a assistência em saúde”, a mesa “Ação e grupos de trabalho 2: Emprego, Formação pré e pós-graduada, recertificação” e para encerrar o dia, a mesa “Cooperação e participação nas organizações médicas internacionais (estratégias, objetivos, propostas).

No sábado, última dia do evento, será realizada a Assembleia Geral da Confederação Médica Latinoamericana e do Caribe (Confemel).

Deixar um comentário