Afiliado a:

II Semana Estadual de Enfrentamento aos Acidentes de Motor com Escalpelamento segue até sexta-feira

Segue até o dia 26 de agosto a II Semana Estadual de Enfrentamento aos Acidentes de Motor com Escalpelamento, a ação luta pela erradicação deste tipo de acidente, firmando compromissos entre gestores locais e a sociedade para prevenir o escalpelamento nos rios amazônicos.

A Coordenação de Estadual de Mobilização Social da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) lançou nesta segunda-feira (22) a II Semana Estadual de Prevenção e Combate aos Acidentes de Motor com Escalpelamento, com ações na Feira do Açaí, anexo ao mercado do Ver-o-Peso, e no Porto do Açaí, no bairro do Jurunas, em Belém. A campanha reforça a necessidade contínua de convencer a população a adotar estratégias para evitar o acidente, causado pelo eixo exposto dos motores das embarcações que, ao enroscar e puxar os cabelos longos das meninas e mulheres, arranca parte ou todo o couro cabeludo, podendo levar à morte. FOTO: MOZART LIRA / ASCOM SESPA DATA: 22.08.2016 BELÉM - PARÁ

FOTO: MOZART LIRA / ASCOM SESPA

A campanha reforça a necessidade de convencer a população a adotar estratégias para evitar os acidentes, causados pelo eixo exposto dos motores das embarcações que, ao enroscar e puxar os cabelos, arranca parte ou todo o couro cabeludo e pode levar à morte.

Alusiva também ao Dia Nacional de Combate ao Escalpelamento, lembrado no domingo (28), a campanha é mais um momento na luta pela erradicação dos acidentes. “Isso ajuda a firmar compromissos entre os entes e órgãos públicos e fortalecer a política estadual no combate ao escalpelamento no Pará”, explica a coordenadora estadual de Mobilização Social, Socorro Silva.

Incidência –Segundo levantamento referente ao período de 1997 a 2012, 85% dos acidentados foram do sexo feminino, e destes, 65% eram crianças. Em 2015 foram registrados onze casos de escalpelamento em todo o Estado. Neste ano, até o momento, há três registros. Normalmente, há maior ocorrência no mês de julho, mas não houve nenhum caso registrado no mês.

IMG-20160824-WA0012

“Os ribeirinhos, que têm no barco o principal meio de transporte, são a maior parte das vítimas. O fato de descentralizarmos essas ações para o interior é uma forma de fazer com que também os profissionais dos municípios alertem a população para hábitos simples, como fazer um ‘pitozinho’ no cabelo, usando uma linguagem que o povo compreenda de imediato”, explica Socorro Silva.

Dentre outras atividades, a campanha trará Roda de Conversa com pessoas envolvidas no combate ao escalpelamento, curso de “Capacitação em tecnologias em saúde no uso de curativos industrializados no atendimento de urgência e emergência de lesões das vítimas de escalpelamento”, exposição de pesquisas acadêmicas e Mostra de vídeos produzidos como recursos audiovisuais de prevenção aos acidentes de motos com Escalpelamento.

O evento, que iniciou na última segunda-feira (22), acontece de forma simultânea em dez municípios com maior incidência de acidentes com escalpelamento no estado do Pará, sendo esses as ilhas de Sirituba e Trambioca, em Belém, e os municípios de Abaetetuba, Cametá, Curralinho, Breves, Portel, São Sebastião da Boa Vista, Gurupá, Melgaço, Bagre e Oeiras do Pará.

(Com informações da Agência Pará)

Deixar um comentário