Afiliado a:

Sindmepa Informa – 04.06.2017

REVALIDA NELES

No Mato Grosso, a justiça decretou a ilegalidade do processo de revalidação de diplomas médicos estrangeiros por parte da Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT). Com isso, “a universidade ficou proibida de títulos obtidos no exterior sem a aplicação de provas que atestem de forma adequada as competências, habilidades e atitudes de candidatos ao exercício da medicina no Brasil”. Revalida neles em todo os Estados da Federação.

 CUBANOS

Parecia que tinha acabado a contratação de médicos cubanos para o Mais Médicos. Surpreendentemente, o governo acena com a renovação desses contratos. Um programa extremamente nocivo para o médico brasileiro – que visa beneficiar financeiramente o governo cubano – acaba de ser reeditado pelo governo federal.

SEM TABACO

No dia mundial dedicado ao combate ao fumo, 31 de maio, vários alertas para os malefícios do fumo à saúde e ao meio ambiente. A campanha deste ano focou na produção do tabaco e os danos ambientais, sanitários e sociais provocados pela indústria do fumo. Só de custos na área da saúde, o País gasta em torno 56,9 bilhões com despesas médicas em função do fumo, por ano. O hábito de fumar mata quase 6 milhões de pessoas no mundo por ano, das quais 600 mil são não fumantes, vítimas do fumo passivo. Vamos acabar com esse mal.

CONTRIBUIÇÃO SINDICAL

A Diretoria executiva da Federação Médica do Brasil (FMB) aprovou posição favorável ao fim da contribuição sindical obrigatória, mas que o processo se dê de forma gradativa. Desta maneira será possível aos sindicatos se reestruturarem, adequarem-se às novas normas trabalhistas mantendo o padrão de atendimento a seus filiados. A FMB acredita que os sindicatos verdadeiramente representativos continuarão com a arrecadação opcional das mensalidades de seus filiados e outras fontes de custeio sem prejuízo à sua atuação. O Sindmepa também apoia o fim da contribuição sindical obrigatória e, inclusive, já se mantém financeiramente, independente da contribuição sindical, há 15 anos.

PARCERIA FAPESPA

O Sindmepa fechou parceria com a Fapespa visando a elaboração de um Boletim da Saúde do Estado do Pará. O boletim visa sistematizar as informações  sobre as políticas públicas de saúde e visualizar a cobertura de saúde no nível da atenção básica e especializada; além de apontar indicadores da saúde, entre eles, os índices de mortalidade materna e infantil. O Sindmepa irá integrar o projeto através de análises técnicas sobre o conteúdo apresentado.

IMPASSE

Continua o impasse entre a Sesma e pediatras do Pronto Socorro da 14. Na última quinta, uma reunião realizada com dirigentes da Secretaria e do hospital, com a presença do sindicato, não chegou a nenhum acordo entre as partes. O secretário garantiu que os plantões atrasados serão pagos gradativamente, sem deixar claro em que período isso se dará. Outro entrave é o valor dos plantões da UR Pediátrica (Unidade de graves). Os pediatras querem um valor diferenciado pela complexidade do trabalho, mas a Sesma diz que não pode pagar. Há um forte sentimento no grupo em favor da entrega dos plantões, o que pode gerar um grave problema para o município, que já passou muito tempo sem pediatras no pronto socorro. O Sindmepa aguarda a decisão do grupo e continua dando apoio ao movimento.

 

Deixar um comentário