Afiliado a:

Sindmepa Informa – 05.02.2017

MASSACRE

O governo do Estado e as prefeituras de Belém e Ananindeua estão numa aposta cruel para ver quem massacra mais o servidor em termos salariais e desvalorização. A prefeitura de Belém está disparada à frente com congelamento de salários, abonos, plantões extras e outras maldades, seguida de perto de Ananindeua e o governo do Estado. Uma disputa bem acirrada.

UPAS DE ANANINDEUA

Apesar da categoria ter aceito a proposta da Prefeitura de Ananindeua – de adiamento da portaria que reduz o número de plantonistas nas UPAS do Icuí e Cidade Nova – o movimento continua de pé. Se os compromissos assumidos em relação a estrutura e segurança não forem honrados, a tendência é de que em março os médicos novamente entreguem as escalas de plantão. Tomara que não.

PROJETO ALEPA

O Sindmepa se declara terminantemente contra o projeto de lei do Executivo estadual que autoriza a cessão de servidor público às Organizações Sociais contratadas pelo estado, sem ônus para o órgão de origem. O Sindmepa vai promover mobilização para evitar a aprovação do projeto, que é prejudicial ao sistema de saúde, e aos servidores públicos estaduais, já penalizados pela política de desvalorização praticado pelo governo do Estado. Vai ter muita luta.

COMEMORAÇÃO

Dois importantes cursos de medicina comemoraram aniversário neste mês de janeiro, em Belém. Na Universidade Federal do Pará, a faculdade de medicina completou 98 anos, já no Cesupa o curso fez 10 anos. O Sindmepa foi convidado pelo Cesupa para participar da sessão solene em comemoração à data. Daqui nossas felicitações às duas instituições pelo aniversário.

SUCESSO

Foi um sucesso a segunda sessão do Cine Sindmepa que desta vez colocou em discussão a temática do aborto. O filme exibido foi “Regras da Vida”, 1999, baseado no best-seller de John Irving. Após a exibição do longa, os presentes tiveram a oportunidade de debater a respeito do tema com especialistas pró e contra o aborto. Uma discussão pra lá de polêmica.

BANDIDAGEM

É unanimidade no Brasil que o Judiciário, Executivo e Legislativo brasileiro estão entre os mais caros do mundo. Somando-se a isso, índices desenfreados de privilégios, nepotismo direto e cruzado e corrupção, chega-se à conclusão de que o Brasil está entregue a bandidos, presos e soltos deste país.

Deixar um comentário