Afiliado a:

Sindmepa Informa – 06.05.2018

ANS

Planos de saúde agora têm autorização da própria Agência Nacional de Saúde (ANS) para interferir no trabalho do médico escolhido pelo paciente. Se o plano de saúde não concordar com o tratamento, poderá dizer qual terapia julga mais indicada e, se o médico do paciente não concordar com o plano, este pode indicar ainda um terceiro médico para decidir qual tratamento será autorizado. Um grave precedente que compromete a autonomia na atividade médica.

FARMÁCIA POPULAR

Um dos mais importantes programas brasileiros de acesso a medicamentos corre o risco de acabar. É o Aqui tem farmácia popular, que funciona em convênio com farmácias particulares e oferece medicamentos gratuitos para hipertensos e diabéticos e com preços bem mais em conta para outras doenças. Hoje, 14,4 milhões de pessoas que necessitam de uso contínuo de medicamentos para controle da hipertensão arterial utilizam o programa. Repudiamos qualquer tentativa de esvaziamento pelo Ministério da Saúde.

REDES SOCIAIS

O CFM editou parecer em que estabelece regras sobre o uso do WhatsApp e redes sociais entre os médicos. Para o conselho, a comunicação digital deve ser privativa e restrita entre os médicos e entre estes e seus pacientes. No caso de grupos no aplicativo, estes devem ser formados exclusivamente por médicos registrados no CRM correspondente. Em relação à utilização de imagens, fica proibido a publicação de fotos nas redes sociais “antes e/ou depois” de algum procedimento. A imagem do paciente somente pode ser divulgada com finalidade acadêmica.

LEVIANOS

A Federação Médica Brasileira (FMB), nossa entidade de representação nacional, repudiou declarações do diretor executivo da Geap Saúde, afirmando que “hospitais e médicos roubam os planos de saúde”. Ora, quem reajusta suas tabelas muito acima dos índices econômicos e não repassa os mesmos índices para os médicos e retrai o acesso de usuários a médicos e procedimentos, não são os médicos. Se há problemas, deveriam ser mais eficientes no apontamento de erros, evitando macular a imagem de uma categoria profissional e de instituições de saúde com afirmativa tão leviana.

DIRETAS JÁ

Em reunião do Sindmepa com o secretário de saúde de Belém na semana passada, uma das nossas solicitações foi a eleição direta do diretor clínico do hospital de Mosqueiro, algo que é previsto em resolução do Conselho Federal de Medicina. Estamos no aguardo das providências prometidas por ele sobre esse item da pauta.

 

Deixar um comentário