Afiliado a:

Sindmepa Informa – 12.02.2017

MINICURSO

Segue até o dia 16 o minicurso de Direito Civil, ministrado pelo Procurador federal Ubiratan Cazetta, no Sindmepa. O curso contém dois módulos, em quatro aulas, com noções gerais sobre direito civil e contratos. Após o curso serão emitidos certificados de participação.

NOVOS MÉDICOS

É sempre bom registrar nossa participação em eventos de acolhimento de novos médicos. Esta semana participamos da mesa redonda “O ensino médico e suas relações com as entidades médicas” num evento de recepção aos calouros da turma de 2017 de Medicina da Famaz. Nosso diretor, João Gouveia, falou sobre Defesa profissional na mesa redonda. Nossos parabéns aos novos colegas e sucesso em sua trajetória.

LANÇAMENTO

Foi na última quarta-feira, na Fábrica 242, o lançamento do livro Ossos e ofício – Um médico, uma clínica, o legado, do médico João Maradei, um dos mais antigos e conceituados ortopedistas do Pará. No livro, Maradei conta sua trajetória profissional em mais de 300 páginas com muita foto e informações detalhadas. Leitura imperdível.

SENTENÇA

A justiça bloqueou os bens do Instituto Idesma para pagamento de direitos trabalhistas de médicos que prestaram serviços ao Hospital Metropolitano e tiveram contratos rescindidos sem pagamento de seus direitos. Por incrível que pareça, a sentença não pôde ser executada porque o CNPJ da empresa não foi localizado. O mais incrível é que esta empresa ainda presta serviços para o estado. Agora, nova audiência foi marcada com os representantes do Idesma para o dia 22, na 12ª Vara do Trabalho. Vamos ver se deciframos o enigma do sumiço do CNPJ.

DERROTA

O Ministério Público do Trabalho em Marabá abriu procedimento contra a terceirização de trabalho médico no município com foco na empresa Pró-Saúde, Organização Social que administra o hospital regional de Marabá. Diante das graves denúncias de irregularidades na contratação de serviços médicos – o que é feito via pessoa jurídica e sem direitos trabalhistas – formuladas pelo Sindmepa, a procuradora do trabalho, Ana Luiza Noronha, informou que vai analisar as informações colhidas e adotar as medidas cabíveis. Nossa assessoria jurídica esteve presente à audiência extrajudicial convocada na ação contra o hospital regional. É mais uma vitória da categoria médica no embate com as Organizações Sociais.

EXAME DE ORDEM

O Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp) insiste em realizar um exame incompleto de avaliação dos alunos de medicina em São Paulo. Apesar do plenário do CFM não ter aprovado e todas as evidências apontadas por entidades de ensino médico mostrou que é inadequado e não serve para mensurar o conhecimento acadêmico. Com isso prestam um desserviço à saúde, à população e à categoria médica.

 

Deixar um comentário