Afiliado a:

Sindmepa Informa – 26.02.2017

CAOS NA PEDIATRIA DO PSM 14

Após reunião realizada na última quinta-feira, envolvendo médicos pediatras e a direção do HPSM da 14 (hospital Mário Pinotti), Sindmepa e pediatras decidiram encaminhar para o Secretário de Saúde e gestores da instituição pedido de que a triagem pediátrica seja realizada por médicos, bem como a revisão dos contratos com os hospitais de retaguarda, para melhora do fluxo na absorção de demandas. Além da necessidade de regularização do abastecimento de medicações e insumos, bem como exames, principalmente de tomografia na pediatria do hospital.

REUNIÃO PCCU   

A resolução do Conselho Federal de Enfermagem que determina que somente enfermeiros estão autorizados a fazer coleta de material para preventivo do colo de câncer do útero gera um problema de saúde pública muito grave. Sem profissionais suficientes para realizar o procedimento, o governo do estado autorizou auxiliares e técnicos de enfermagem a continuar fazendo o procedimento. O assunto foi debatido na última reunião do Conselho Estadual de Saúde e consideramos que o assunto só poderá ser dirimido com a interferência da justiça. Estatísticas da Sespa apontam que a resolução do Cofen já provocou a redução no número de preventivos realizados no Pará.

SANTA CASA NO BERÇO

Participamos ativamente da programação alusiva aos 367 anos de fundação da Santa Casa de Misericórdia do Pará, a maior e mais antiga maternidade pública do estado. Na última quarta, 22, nossa diretora Leucy Paz prestigiou o lançamento do CD do coral Saúde e Vida, patrocinado pelo Sindmepa. E na noite de quinta, 23, o diretor Waldir Cardoso esteve na cerimônia de formatura da residência médica de mais de 50 profissionais da Santa Casa, no Hangar. Parabéns à Santa Casa e aos profissionais que ali trabalham.

FMB EM BRASÍLIA

A Federação Médica Brasileira (FMB), representada pelo seu presidente, o médico paraense Waldir Araújo Cardoso, tem tido intensas atividades em Brasília. Solicitou audiências com o presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST) e com o procurador geral do Ministério Público do Trabalho para tratar da precarização dos vínculos de trabalho médico, assim como com o ministro da Saúde para tratar da carreira de Estado e da situação do Mais Médicos.

NÃO ÀS REFORMAS

As reformas propostas pelo governo acompanham uma única lógica: o desmonte do serviço público e a retirada de direitos trabalhistas. O novo regime fiscal, aprovado ano passado, congela em termos reais os gastos públicos por 20 anos; a reforma da Previdência retira direitos já conquistados e consolidados; e a reforma trabalhista valoriza a pejotização, a terceirização da atividade-fim e contribui para o enfraquecimento, via custeio, das entidades sindicais. Nosso maior desafio, enquanto movimento sindical, é resistir ao desmonte da proteção social. Unidade de ações e mobilização são indispensáveis nesse processo. Vamos à luta.

CAÇA AOS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS

Os processos seletivos publicados pela Sespa, inclusive envolvendo autarquias, provam que o discurso do governador de que tem orgulho de ser servidor público, é vazio, pois é uma prova cabal de que estão querendo acabar com a carreira do servidor público. Sem falar na tentativa de entrega do restante dos hospitais públicos para Organizações Sociais. Essa seleção, além de não ter qualquer garantia, oferece salários irrisórios.

Deixar um comentário