Afiliado a:

Sindmepa protocola denúncia no CRM contra Gamp

Sindmepa protocolou, ontem (28), junto ao Conselho Regional de Medicina (CRM) denúncia de infração ética contra diretores da empresa Grupo de Apoio à Medicina Preventiva e à Saúde Pública – Gamp

A empresa que gerencia o Hospital Geral Evaldo Benevides Alves, em Parauapebas, desde julho deste ano, suprimiu vários direitos sociais dos médicos, orientando-os a constituir Pessoas Jurídica Individual – caso quisessem manter seus empregos – e anunciou a redução dos valores pagos por plantões, passando, inclusive, a não observar a legislação vigente.

Segundo o documento protocolado, diante das perdas e da desestabilização das relações de trabalho, os médicos, lotados no antigo hospital, iniciaram um movimento de classe, porém foram intimidados pela coordenação da Gamp, com insinuações de distrato dos temporários, caso não quisessem aceitar as novas condições de trabalho e assédio, com a contratação de novos médicos de outros estados para que assumissem os plantões e outras atividades.

“Como forma de pressão, os médicos do Pronto Socorro passaram a ter seus horários vigiados, passando a controlar o tempo do uso dos banheiros, tempo das refeições, descanso e etc.” afirma o documento.

Em razão das perseguições, o Sindmepa solicitou ao Secretário de Saúde do município o remanejamento dos médicos que se sentem intimidados para outros estabelecimentos da SEMSA. A denúncia do Sindmepa também foi encaminhada ao Ministério Público, Conselho Municipal de Saúde de Parauapebas e a Secretaria Municipal de Saúde.

Deixar um comentário