Afiliado a:

Situação das UPAS de Ananindeua é discutida em reunião com secretário de saúde do município

A situação das UPAS da Cidade Nova e Icuí-Guajará, em Ananindeua, foi novamente discutida em reunião realizada nesta segunda-feira, 05, na sede da Secretaria Municipal de Saúde de Ananindeua (Sesau). Entre as pautas de discussão estão a redução de médicos plantonistas do período noturno e melhores condições de trabalho.

De acordo com médicos que atuam nas duas unidades, não há local para o repouso médico durante os plantões de 12h na UPA da Cidade Nova, o que será providenciado imediatamente pela gestão municipal, segundo o secretário municipal de saúde de Ananindeua, Paulo Trindade Campos. Os médicos também reclamam da falta de segurança e de materiais básicos, que dificultam o atendimento nas unidades.

“Faltam medicamentos, ambulâncias, materiais básicos para urgência e emergência, principalmente para a realização de suturas. A segurança também é precária, pois mesmo que existam guardas, eles não garantem a segurança de quem trabalha nessas unidades, pois eles não interferem em nada”, lamentou o diretor clínico da UPA do Icuí-Guajará, Mário Albuquerque.

Segundo Mário, o principal problema está na falta de diálogo entre a categoria e a gestão municipal. “Em momentos de crise isso é fundamental, porque ambas as partes precisam estar por dentro do que está acontecendo e ver uma melhor forma de solucionar os problemas”, enfatizou.

Sobre a redução dos médicos plantonistas, Mário acredita que irá prejudicar ainda mais o atendimento nas duas unidades. “A gestão municipal quer reduzir o número e plantonistas, que já é insuficiente, principalmente na unidade em que eu atuo, pois a demanda é muito grande, o que torna o atendimento precário”, concluiu.

Os médicos alegam ainda que não receberam os plantões extras realizados no Natal e Ano Novo de 2014/2015 e os plantões realizados entre 25 e 30 de julho deste ano. Segundo o secretário municipal de saúde, pelo menos o pagamento dos plantões extras do Natal e Ano Novo de 2014/2015 será feito até o dia 15 de outubro.

Ainda segundo o secretário, será feito o abastecimento dos medicamentos para urgência e emergência das duas unidades até o feriado do Círio de Nazaré.

Para o diretor do Sindmepa, João Gouveia, falta gestão por parte do município para que as unidades funcionem corretamente. “Essas UPAS estão se transformando em mini hospitais. Elas estão atendendo casos de alta complexidade, o que não é de cunho dessas unidades. Falta gerenciamento”, frisou.

Além do secretário municipal de Ananindeua, Paulo Trindade Campos, participaram da reunião representantes das duas unidades de saúde e os diretores do Sindmepa, João Gouveia, José Martins e Emanuel Oliveira.

Outra reunião está marcada para o dia 28/10, às 10hs, na Sesau, para dar continuidade à pauta de discussões.

Deixar um comentário