dom

abr 14, 2024

Afiliado a:

Login

Espaço do Médico

dom

abr 14, 2024

Afiliado a:

Espaço Médio

Sindmepa Informa – 15-06-2014

POLITICAGEM NO MS

Apesar de ter sido o primeiro Estado a solicitar a aprovação da I etapa do componente hospitalar do Plano Estadual de Atenção Integral às Urgências, o Pará aguarda desde dezembro de 2012 a publicação da portaria de sua inclusão no Plano. Já a Bahia, cujo governador é do PT, já teve a III etapa do mesmo plano aprovada recentemente. Isto desmente o discurso do MS de que não privilegia seu partido ou aliados na condução da política de saúde. Só retórica.

AUTOMEDICAÇÃO E MORTE

A prática da automedicação, muito comum entre a população brasileira, traz enorme risco para a saúde, podendo causar ou agravar doenças e até levar à morte. A diferença entre o medicamento e o veneno é a dose que, se errada, pode intoxicar e levar a óbito o paciente. A propaganda na mídia de medicamentos é inaceitável e prejudicial à saúde. Ao invés de induzir os usuários a tomar medicamentos e, caso não tenham sucesso, procurar um médico, a propaganda deveria ser exatamente o contrário. Procurar um médico antes de tomar qualquer medicamento. A saúde agradece.

DESFILIAÇÃO DA FENAM

Será amanhã (segunda-feira) a AGE dos médicos do Pará para analisar a proposta da diretoria do Sindmepa de desfiliação da Federação Nacional dos Médicos (Fenam). Filiado à entidade nacional desde 1981, o Sindmepa defende a desfiliação por diversas razões, entre elas os desmandos da diretoria que aprovou, sem legitimidade, a ampliação do seu mandato por mais um ano, em votação questionada juridicamente pelo Sindmepa e outros 18 sindicatos médicos do Brasil. Aguardamos o maior número possível de participantes para nos posicionarmos formalmente diante de tão importante tema.

SUPERLOTAÇÃO NA SANTA CASA

Enviamos ao Ministério Público Estadual ofício informando a persistência de superlotação no atendimento da assistência perinatal e neonatal na Santa Casa. A situação tem sido denunciada com frequência por profissionais da sala de parto e da emergência da enfermaria de pediatria. O atendimento da emergência de pediatria não está sendo feito nos prontos socorros de Belém, direcionando toda a demanda para a porta da Nova Maternidade e a regulação e a Rede Cegonha continuam a não funcionar, o que acende o alerta para novas mortes evitáveis de bebês na instituição.

ATENDIMENTO A FISSURADOS

O serviço de fissurados do Estado, uma das causas abraçadas pelo Sindmepa, vem enfrentando grandes dificuldades em sua estrutura e não vem dando conta da demanda para tratamento. Diante disto, estamos solicitando à Secretaria de Saúde uma reunião ampliada com diversos setores para discutirmos os problemas do serviço e propormos a criação da Comissão Estadual de Prevenção e Tratamento de Fissuras Labiopalatal, a reestruturação do serviço no HOL ou outro local e sua descentralização no Estado.

LEI ANTIFUMO

Enfim entra em vigor no Brasil a lei que proíbe o fumo em locais fechados e de uso coletivo. A regulamentação da lei é um grande avanço para a saúde pública no Brasil acabando com os fumódromos e definindo claramente local coletivo, fechado, além da restrição à propaganda do fumo. Os fumantes passivos (não fumantes) agora poderão proteger melhor a sua saúde agredida pelos fumantes ativos. O ideal é caminharmos para sua abolição completa. O financiamento da saúde pública melhoraria e muito.

 

 

Veja mais
Músico apresenta Através do Tempo na Quarta Musical

Músico apresenta Através do Tempo na Quarta Musical

José Maria Bezerra volta à Quarta Musical do Sindmepa com o show “Através do Tempo”, título do álbum lançado em março deste ano. O músico apresentará o repertório autoral em

Sindmepa Informa – 18.09.2023

Sindmepa Informa – 18.09.2023

PARALISAÇÕES Médicos das UPAs Marambaia, Jurunas e Terra Firme comunicaram ao Sindmepa na ultima sexta-feira que iriam paralisar os atendimentos nas unidades novamente por atraso de pagamento. O último repasse

CFM atualiza termos para publicidade médica

CFM atualiza termos para publicidade médica

Após processo que durou mais de três anos, o Conselho Federal de Medicina atualizou as regras de publicidade médica. Para definir as novas diretrizes foi realizada uma consulta pública, que