sex

abr 19, 2024

Afiliado a:

Login

Espaço do Médico

sex

abr 19, 2024

Afiliado a:

Espaço Médio

FMB posiciona-se sobre a Avaliação Nacional Seriada dos Estudantes de Medicina

A Federação Médica Brasileira (FMB) divulgou nesta terça-feira, 26 de abril, nota oficial sobre a Avaliação Nacional Seriada dos Estudantes de Medicina (Anasem). A entidade, que representa mais de 200 mil médicos brasileiros, é contrária ao que qualifica como exame de ordem e que não vai qualificar o processo de formação de médicos.

De acordo com o presidente da FMB, Waldir Araújo Cardoso, os dirigentes entendem que o mais adequado são avaliações do corpo docente e da infraestrutura dos cursos de medicina. “E também o fim da abertura indiscriminada e irresponsável de escolas médicas. Somente nos últimos cinco anos foram abertos 80 cursos no país”, destaca.

O presidente da FMB destaca que a avaliação dos estudantes também é necessária porque garantirá à sociedade acesso a profissionais capacitados. “A proposta do governo vai punir somente o aluno, que ao final de seis longos anos de estudo, não receberá o diploma caso reprove. Essa situação caracteriza-se como um exame de ordem”, afirma Waldir.

A FMB destaca na nota a falta de profissionais qualificados no país para suprir a demanda dos cursos de medicina.

NOTA OFICIAL
O governo federal, através do Ministério da Educação, divulgou que editará portaria instituindo avaliação dos estudantes de medicina a cada dois anos de curso, denominada Avaliação Nacional Seriada dos Estudantes de Medicina (Anasem). A Federação Médica Brasileira entende que a avaliação dos estudantes é importante para garantir à sociedade médicos capacitados. Entretanto, o que parece positivo, é apenas uma medida que vai penalizar exclusivamente o aluno que não receberá seu diploma se não for aprovado na avaliação do sexto ano, o que transforma esta prova em Exame de Ordem intra-curso para médicos.

Defendemos que o curso de medicina seja terminativo e entregue à sociedade profissionais médicos plenamente habilitados. Isto não será possível com a política atual do governo de abrir escolas de medicina sem as mínimas condições estruturais. E nem o país tem docentes qualificados suficientes para suprir os mais de 80 cursos de medicina autorizados nos últimos cinco anos. Lembramos que os custos para a formação de um médico são vultosos para o Estado – para a sociedade, portanto – e para as famílias. Importante questionar: o que será do aluno não aprovado no sexto ano?

Enfatizamos que somos totalmente contrários a este Exame de Ordem que não vai qualificar o processo de formação. Em defesa da sociedade, exigimos que haja concomitante avaliação do corpo docente e da infraestrutura dos cursos de medicina, bem como o fim da abertura indiscriminada e irresponsável de escolas médicas sem condições de formar bons médicos.

Belém (PA), 26 de abril de 2016.

Veja mais
Músico apresenta Através do Tempo na Quarta Musical

Músico apresenta Através do Tempo na Quarta Musical

José Maria Bezerra volta à Quarta Musical do Sindmepa com o show “Através do Tempo”, título do álbum lançado em março deste ano. O músico apresentará o repertório autoral em

Sindmepa Informa – 18.09.2023

Sindmepa Informa – 18.09.2023

PARALISAÇÕES Médicos das UPAs Marambaia, Jurunas e Terra Firme comunicaram ao Sindmepa na ultima sexta-feira que iriam paralisar os atendimentos nas unidades novamente por atraso de pagamento. O último repasse

CFM atualiza termos para publicidade médica

CFM atualiza termos para publicidade médica

Após processo que durou mais de três anos, o Conselho Federal de Medicina atualizou as regras de publicidade médica. Para definir as novas diretrizes foi realizada uma consulta pública, que