WhatsApp: (91) 8895-3102
S.O.S Sindmepa: (91) 99893386
Afiliado a:

Noite de festa e premiações no cineteatro do Sindmepa

0

Dois médicos e um acadêmico foram os grandes vencedores do prêmio Alípio Bordalo de Literatura, entregue na noite desta quarta-feira, 16, no cineteatro do Sindmepa, dentro da programação da Semana do Médico. O prêmio foi uma parceria da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores (Sobrames) e o Sindmepa e visa valorizar a produção literária de médicos e acadêmicos de medicina. A noite também marcou os 38 anos de fundação do Sindmepa e o lançamento do prêmio Sindmepa de Jornalismo em Saúde dr. Waldir Mesquita. Veja a galeria de fotos.

Foram premiados na categoria Crônica: Gustavo Maximiano Alves (1° lugar); Matheus Bezerra do Nascimento (2º); e Marina Rodrigues Pinheiro do Nascimento (3°). Na categoria Conto os ganhadores foram: Jorge Luiz Andrade Coêlho (1º); Luiz Felipe Batista Ferreira (2º); e Gabriela Paracampo de Albuquerque (3º). Na categoria Poesia, os vencedores foram: Lucas Hugo Magno Tavares (1°); Jayme Benarrós (2°); e Sandoval Leandro Ferreira de Sousa (3°).

Gustavo Maximiano, estudante do último ano de medicina da UFPA, disse de sua alegria com o reconhecimento: “fico muito feliz por ter sido premiado, mas o meu agradecimento é em relação à oportunidade. Acho que um prêmio dá oportunidade para que a gente escreva. E o fazer artístico é muito importante porque a arte que dá sentido à vida”, refletiu.

Vencedores nas categorias poesia, crônica e conto

O 1° lugar na categoria Conto, Jorge Luiz Andrade Coêlho, 65, médico com especialidade em clínica médica e geriatria, não escondeu a emoção pelo prêmio: “Quando eu vi o primeiro anúncio da premiação eu realmente fiquei muito feliz, muito empolgado, porque é uma coisa que a literatura, a poesia, a arte, eu acho que faz parte da vida médica. Já no juramento de Hipócrates ele não fala a ‘minha profissão’ ele fala ‘a minha arte’, ‘a nossa arte’. Então, eu fiquei muito feliz pelo prêmio”, afirmou.

A viúva do médico homenageado, Maria Inês Leão Bordalo ficou emocionada com a homenagem ao marido: “Foi muito bonita, porque ele amou, amou o que fez em medicina/Obstetrícia. Ele doou a vida, morou mais na Santa Casa do que na nossa casa, eu costumava dizer isso para ele. Não podia ser melhor, foi muito justa”, disse.

Luis Felipe Batista Ferreira, do 7° semestre, da Uepa, levou o filho Thiago, de três meses para a premiação. E expressou sua alegria pelo prêmio: “Fiquei muito feliz pela chance de todas essas obras estarem em domínio público, principalmente por serem obras de estudantes e de médicos”.

A médica Helena Brígido, presidente da Sobrames, disse estar gratificada em poder levar cultura aos acadêmicos e médicos. “Tivemos muitos estudantes e muitos médicos, mas mais estudantes, e é muito legal a gente estar incentivando a cultura, porque nós, médicos, trabalhamos muito, e essa é uma forma do médico também extravasar”.

Para ela, foi uma satisfação particular a homenagem ao médico Alípio Bordalo, com quem chegou a participar junto na diretoria da Sobrames. “É muito gratificante para a gente ter conseguido realizar juntos – Sobrames e Sindmepa – esse prêmio com o nome do dr. Alípio, que foi um grande médico paraense e um dos fundadores da Sobrames. Foi uma noite memorável”, afirmou.
Todas as obras inscritas no prêmio serão reunidas em uma publicação a ser anunciada em breve pela Sobrames. “Estamos construindo esse processo dinamicamente e vamos avisar os escritores sobre a publicação em breve”, disse a médica.

O prêmio Alípio Bordalo teve o patrocínio da Unimed Belém, Sicred Belém, laboratórios Amaral Costa e Paulo Azevedo, Cuidare e Dalmass.

38 anos de fundação

E para comemorar os 38 anos de fundação do Sindmepa, foi lançado na mesma noite o prêmio Sindmepa de Jornalismo em Saúde dr. Waldir Mesquita, uma homenagem a um dos fundadores do sindicato médico do Pará, que compareceu ao evento e recebeu uma placa de agradecimento pelos bons serviços prestados ao Sindicato.

Dr. Waldir Mesquita recebe a homenagem das mãos do diretor Waldir Cardoso

O diretor Wilson Machado, que anunciou o lançamento do Prêmio de Jornalismo, explicou que a iniciativa do Sindmepa visa “estimular a produção jornalística sobre o atual cenário da saúde no Estado, seja para evidenciar boas práticas na medicina ou apontar problemas nos serviços de saúde”.

O diretor Waldir Cardoso, que também foi um dos presidentes do Sindmepa, entregou a placa em homenagem a Mesquita e destacou que era a realização de um sonho homenagear o colega ainda em vida.
Waldir Mesquita fez questão de dedicar todas as homenagens pela criação do Sindmepa ao médico já falecido Claudio José Dias Klautau. “Sem ele, nada seria possível”, disse. Ele também destacou que o Sindmepa é um filho que cresceu e atribuiu o desenvolvimento da entidade aos atuais dirigentes do sindicato. “Sem vocês não teríamos conquistado tudo isto”. Médico e comunista, Mesquita disse que acredita firmemente que às vezes é preciso recuar para alcançar vitórias futuras e que tem convicção de que o Brasil será um país melhor para os seus filhos.

dr Waldir Mesquita discursou em comemoração aos 38 anos do Sindmepa

Waldir Mesquita é especialista em ginecologia e obstetrícia. Foi o primeiro presidente eleito do Sindmepa, ocupando o cargo no período de 1985 a 1989, e foi presidente do Conselho Federal de Medicina. Hoje, exerce a profissão no hospital Regional do Baixo Amazonas, no Hemocentro Regional e no Hospital Municipal de Santarém.

O prêmio de jornalismo está agendado para acontecer durante a comemoração da Semana do Médico de 2020, em outubro. Serão premiados os melhores trabalhos nas categorias jornalismo impresso, televisivo, online e radiofônico. O edital de inscrições será publicado no mês de novembro.

Leave A Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.