WhatsApp: (91) 8895-3102
S.O.S Sindmepa: (91) 99893386
Afiliado a:

Pará registra maior número de acidentes com escalpelamento dos últimos nove anos

0

Mais um caso de escalpelamento foi registrado neste finalzinho de ano em rios do Pará. De acordo com o portal G1, uma menina de 7 anos foi vítima de escalpelamento e teve 100% do couro cabeludo arrancado em Oriximiná, no oeste do Pará. O acidente aconteceu dentro de uma embarcação da família que estava com o eixo do motor exposto, na manhã de segunda-feira (23). A família da menina fazia uma viagem da comunidade Acari, a 55 km do centro do município, para a cidade, e o acidente aconteceu a 3 km do destino final. A Comissão Estadual de Combate ao Escalpelamento confirmou que, com este, sobe para treze o número de acidentes desse tipo nos rios do Pará. É o maior número registrado desde 2010.

De acordo com o G1, a garota tomava banho com a mãe e irmãos na parte de trás da embarcação (popa) quando foi falar com o pai na parte da frente do barco. O carpinteiro Josenildo Andrade havia tirado as tábuas de proteção do eixo para retirar o excesso de água de dentro do barco.

Ao voltar para a popa, a menina teve os cabelos puxados pelo eixo. “Eu estava tirando a água e eu não vi ela passar. Foi muito rápido”, contou o pai. Após ouvir os gritos de socorro da filha e para a menina não bater o crânio na peça do motor, o pai segurou nas pernas da filha fazendo força no sentido contrário, soltando-a.

Ela foi levada ao Hospital Municipal de Oriximiná de onde foi transferida para o Hospital Municipal de Santarém e, no início da noite de ontem, veio para Belém e está internada na Santa Casa de Misericórdia onde passará por avaliação e cirurgia plástica.

“O aumento do número de casos nos mostra que não basta fazer ações dispersas por municípios. É preciso que o governo invista numa política mais incisiva de combate a esses acidentes. Uma política pública que, de fato, enfrente os acidentes com escalpelamento em todos os níveis, seja na punição, na prevenção, na assistência, mas que, de fato, dê conta disso”, afirma o diretor do Sindmepa, Waldir Cardoso. “É preciso partir para uma campanha forte de responsabilização tanto do condutor, dos munícipes, quanto dos prefeitos dos municípios onde se dão os acidentes, para que não aconteçam mais”, defende.

Escalpelamento

O escalpelamento é um acidente mais comum no Norte, sendo provocado pelo eixo do motor das pequenas embarcações. Por conta da falta de proteção, as vítimas, em sua maioria mulheres, ao se aproximarem do motor, têm os cabelos puxados.

A forte rotação enrola os cabelos em torno do eixo e chega a arrancar parte ou totalmente o coro cabeludo. Em alguns casos, as vítimas sofrem danos graves e chegam a perder as orelhas e a pele do rosto, causando deformações e até a morte. A Marinha faz a instalação gratuita de cobertura de eixo de motor em pequenas embarcações na região.

Com o acidente de Oriximiná, o número de casos ficou quase o dobro dos registrados no ano passado, quando tivemos sete acidentes. Esse foi o maior número registrado no Pará nos últimos nove anos. A ilha do Marajó é a região de maior incidência de escalpelamentos com eixos de embarcações.

Foto: Portal Chico Terra

Com informações do G1

Leave A Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sindicato dos Médicos do Pará