sáb

maio 18, 2024

Afiliado a:

Login

Espaço do Médico

sáb

maio 18, 2024

Afiliado a:

Espaço Médio

Estudo aponta que pacientes Covid-19 recuperados precisariam de apenas uma injeção de vacinas de mRNA

As pessoas que se recuperaram do COVID-19 podem precisar de apenas uma injeção, em oposição às duas etapas recomendadas, se estiverem tomando as vacinas Moderna ou Pfizer, de acordo com um estudo que sugere maneiras de minimizar as doses quando os suprimentos são limitados. O estudo, que ainda precisa ser revisado por outros pesquisadores, foi publicado no repositório de pré-impressão medRxiv e avaliou as respostas de anticorpos em 109 indivíduos com e sem imunidade pré-existente documentada.

  • Indivíduos recuperados têm uma resposta imunológica rápida a uma dose

De acordo com os pesquisadores, incluindo Florian Krammer, da Icahn School of Medicine, uma única dose da vacina de mRNA provoca respostas imunológicas muito rápidas em indivíduos que já possuem anticorpos contra o coronavírus por exposição prévia a ele.

“Para indivíduos com imunidade pré-existente ao SARS-CoV-2, a primeira dose da vacina imunologicamente se assemelha à dose de reforço em indivíduos ingênuos”, escreveram os cientistas no estudo.

  • Como as vacinas de mRNA atuam no combate ao vírus?

Na pesquisa, os cientistas analisaram vacinas de mRNA que usam segmentos do material genético viral para permitir que as células humanas produzam as proteínas de pico do coronavírus. Essas proteínas treinam o sistema imunológico dos receptores da vacina para combater o coronavírus infeccioso real ao encontrar o patógeno.

  • Níveis de anticorpos pós-vacina em pacientes recuperados muito mais elevados do que outros

Os níveis de anticorpos pós-vacina em pacientes COVID-19 recuperados são comparáveis ​​ou excedem os níveis encontrados naqueles sem exposição prévia ao vírus que receberam duas doses.

Outro estudo ainda a ser revisado por pares no medRxiv descobriu que os níveis de anticorpos em profissionais de saúde recuperados começaram a atingir o pico em sete dias desde a imunização e alcançaram títulos mais elevados e neutralização em 14 dias em comparação com os primeiros receptores da vacina.

  • Títulos máximos desenvolvidos após uma injeção de vacina

“Embora não tenhamos tido títulos de pico para esses indivíduos após a infecção natural, os títulos desenvolvidos após a vacinação única foram maiores do que os títulos de pico em pacientes com COVID-19, semelhante ao que foi descrito na vacinação primária após duas doses das vacinas de mRNA baseadas em pico “, disseram os pesquisadores.

  • Pessoas recuperadas podem ser colocadas em posição inferior na lista de prioridade de vacinação

De acordo com os cientistas da Escola de Medicina da Universidade de Maryland, a resposta secundária ocorre por meio da ativação das células B de memória do sistema imunológico.

Com base nas descobertas, os pesquisadores recomendam uma estratégia de vacinação em dose única para pacientes que já tiveram COVID-19 confirmado em laboratório. Eles disseram que aqueles que se recuperaram da doença podem ser colocados em uma posição inferior na lista de prioridade de vacinação.

  • Pode ser mais seguro que todos recebam duas doses: Riley

Comentando sobre os dois estudos, Eleanor Riley, professora de Imunologia e Doenças Infecciosas da Universidade de Edimburgo, disse que as vacinas estão efetivamente aumentando a imunidade induzida pela infecção.

No entanto, enquanto os dois estudos sugerem apenas uma dose para os recuperados, Riley disse que incorporar isso a um programa de vacinação em massa pode ser logisticamente complexo. Pode ser mais seguro garantir que todos recebam duas doses.

  • Os relatórios não devem ser considerados para orientar a prática clínica

A plataforma de pré-impressão, medRxiv, também alerta que os relatórios publicados são preliminares por natureza e não foram certificados por revisão por pares. “Não se deve confiar neles para orientar a prática clínica ou o comportamento relacionado à saúde”, acrescenta.

 

Lawrence Young, virologista e professor de Oncologia Molecular da Universidade de Warwick, no Reino Unido, acredita que essa questão pode ser resolvida com estudos adicionais. “Se o trabalho futuro puder confirmar este alto nível de imunidade após uma única vacina de mRNA no grupo de indivíduos previamente infectados, isso pode se tornar uma opção viável quando houver preocupações sobre o fornecimento da vacina”, disse Young.

Fonte: NewsBytes

Veja mais
Músico apresenta Através do Tempo na Quarta Musical

Músico apresenta Através do Tempo na Quarta Musical

José Maria Bezerra volta à Quarta Musical do Sindmepa com o show “Através do Tempo”, título do álbum lançado em março deste ano. O músico apresentará o repertório autoral em

Sindmepa Informa – 18.09.2023

Sindmepa Informa – 18.09.2023

PARALISAÇÕES Médicos das UPAs Marambaia, Jurunas e Terra Firme comunicaram ao Sindmepa na ultima sexta-feira que iriam paralisar os atendimentos nas unidades novamente por atraso de pagamento. O último repasse

CFM atualiza termos para publicidade médica

CFM atualiza termos para publicidade médica

Após processo que durou mais de três anos, o Conselho Federal de Medicina atualizou as regras de publicidade médica. Para definir as novas diretrizes foi realizada uma consulta pública, que