WhatsApp: (91) 8895-3102
S.O.S Sindmepa: (91) 99893386
Afiliado a:

Julho Amarelo chama atenção para as hepatites virais

0

A campanha Julho Amarelo é voltada para a conscientização contra as hepatites virais, um conjunto de doenças que ataca principalmente o fígado e pode provocar consequências graves, como cirrose, câncer e até a morte. Este ano, o Instituto Brasileiro do Fígado e a Sociedade Brasileira de Hepatologia (SBH) se uniram à Organização Pan-americana de Saúde (Opas) e definiram como o tema da campanha: “Não Vamos Deixar Ninguém Para Trás”, com o objetivo de estimular o diagnóstico e o acompanhamento adequado da doença.

Existem diferentes tipos de hepatite viral, entre elas: A, B, C, D e E. Cada uma é provocada por um agente infeccioso diferente e possui suas particularidades. Porém, o que pode dificultar o diagnóstico precoce da doença é a falta de sintomas claros no início.

Com o tempo, o paciente pode apresentar cansaço, febre, mal-estar, tontura, enjoo, vômitos, dor abdominal, pele e olhos amarelados (icterícia), urina escura e fezes claras. Além disso, a doença ainda é associada a problemas cardiovasculares, dificuldades cognitivas e até depressão.

Segundo o último Boletim Epidemiológico de Hepatites Virais, publicado ano passado pelo Ministério da Saúde, de 2000 a 2018 foram registradas 74.864 mortes no Brasil por causa da doença, sendo que a hepatite C concentra 76% desses óbitos. Contudo, nos últimos anos o tratamento contra esse tipo da enfermidade evoluiu consideravelmente e se seguido à risca, a chance de cura supera os 95%. Daí a necessidade incentivar a prevenção, o diagnóstico, o tratamento adequado e, para certos tipos de hepatite, a vacinação.

De acordo com a médica infectologista e diretora do Sindmepa, Helena Brígido, as hepatites A e E têm como principal forma de transmissão água e alimentos contaminados, principalmente, em locais com condições precárias de higiene. Enquanto as hepatites B e C são transmitidas por relação sexual, de mãe para filho e uso de drogas injetáveis. Já a hepatite D ocorre somente em pessoas que têm hepatite B e por transmissão sanguínea.

Entre outras ações, a campanha Julho Amarelo disponibiliza um contato (0800 882 8222) para que a população possa tirar suas dúvidas e consultar onde pode realizar testes que detectam a hepatite, disponíveis na rede pública. Se o resultado for positivo, o paciente será encaminhado a um serviço público de saúde para iniciar o tratamento.

Com informações de Agência Einstein

Leave A Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sindicato dos Médicos do Pará