sáb

maio 18, 2024

Afiliado a:

Login

Espaço do Médico

sáb

maio 18, 2024

Afiliado a:

Espaço Médio

Festa na Assembleia celebra os 40 anos de fundação do Sindmepa

Uma festa na sede social da Assembleia Paraense, na noite de sábado, 16, ao som de Juliana Sinimbú cantando clássicos da MPB como ‘Como nossos pais’, de Belchior, coroou 40 anos de trabalho de homens e mulheres que fazem o sindicalismo médico paraense. Foi na noite de 18 de setembro de 1979 que um grupo deles decidiu resgatar a antiga associação profissional da categoria, então no ostracismo. Dois anos depois, o mesmo grupo, já com reforços, aprovava a ata de criação do Sindicato dos Médicos do Pará, numa Assembleia Geral realizada em 16 de outubro de 1981. Desde lá, milhares de assembleias, encontros, passeatas e greves marcaram a presença do Sindicato dos Médicos do Pará em Belém e no interior do estado.

A festa dos 40 anos de fundação coincidiu também com a posse da nova diretoria, que vai guiar o sindicato no próximo triênio. Reafirmou a confiança dos médicos no “jeito de governar” do grupo que vem administrando a entidade desde que ela se constituiu em diretoria colegiada, em 1994. Pela primeira vez com duas chapas disputando o Sindmepa, a vitória teve um sabor especial.

“A disputa nos tirou da zona de conforto, e a vitória aumentou nossa responsabilidade”, afirmou o orador da noite, Waldir Cardoso, último presidente do sistema presidencialista da entidade. À crítica por renovação nos quadros, ele apontou que 50% dos diretores eleitos são de novas lideranças. Desses, 40% são mulheres, atendendo à crescente feminilização da medicina, que hoje já conta com mais médicas do que médicos.

Uma das novas lideranças é Yasmim Nascimento Ferreira, jovem médica, oriunda do Núcleo Acadêmico do Sindmepa e que passa a integrar, como suplente, o Conselho Fiscal da entidade. “A importância de ter participado do Núcleo Acadêmico e da fundação dele foi que pude conhecer mais sobre os movimentos sindicais e a luta da classe sindical da área médica. Com isso, pude ver, quando formada, a importância disso e como posso contribuir sendo diretora do sindicato para as mudanças do trabalho médico”, relatou a nova diretora.

Outro “sangue novo” na diretoria é Wilson Niwa, que preside a Unimed Belém, e passou a integrar a nova diretoria do Sindmepa. “É um momento ímpar em minha vida, um privilégio estar compondo a diretoria de duas entidades que completam 40 anos. Vejo como um bom desafio poder contribuir para que nós, médicos, tenhamos uma profissão respeitada e que a gente possa exercer a medicina de qualidade com segurança em prol de toda a comunidade paraense”, disse.

A nova diretoria colegiada vai guiar o Sindmepa durante o triênio 2021-2024

Outro que volta à diretoria é Francinei Mendes Soares, que já tinha participado de gestões anteriores e decidiu participar da disputa deste ano. “É uma alegria estar voltando para a diretoria do Sindmepa neste momento tão importante da vida do sindicato. Me sinto muito feliz, mesmo com todas as dificuldades que enfrentamos de legislação, de emprego e conflitos com empregador, e tudo mais. Estamos juntos na luta”.

“Nestes 40 anos de história, temos um crescimento visível, que passa por nossa sede administrativa na Boaventura da Silva, mas também temos um histórico de lutas que nos é muito caro”, lembrou o diretor de comunicação do Sindmepa, Wilson Machado. A referência à estrutura física representa bem o crescimento da entidade. A primeira reunião do grupo que resgatou a associação deu-se numa sala cedida pela Associação dos Anestesiologistas do Pará, com cerca de 100 associados e hoje, o Sindmepa funciona em amplas instalações na Boaventura da Silva, já com cerca de 3.500 associados.

As lutas que marcaram os 40 anos, por melhores condições de trabalho e salário digno, foram lembradas pelo diretor, João Gouveia. “É uma enorme alegria participar dessa festa com a presença de colegas, outras categorias, autoridades. Mas a luta continua e com a renovação de 50% da diretoria vamos chegar ao final do nosso mandato com nossas metas alcançadas. Uma delas é a conclusão da sede, que será, talvez, a maior do Brasil”, ressaltou.

Um dos mais antigos associados do Sindmepa, que também participou da festa dos 40 anos, foi o médico Mario Ernesto Sassim Rodrigues. “É uma honra muito grande participar dessa história dos 40 anos do sindicato, porque é uma história de luta, de briga, muitas vezes até inglória, mas que a gente não recua nunca. Sempre encontrando formas de buscar cada vez mais melhorias e fazer parte desse processo, para mim, é uma honra”, afirmou.

O médico anestesiologista Claudio José Dias Klautau foi o primeiro presidente do Sindicato dos Médicos do Pará, eleito em 1981. O primeiro presidente eleito após a emissão da Carta Sindical, em 1985, foi o ginecologista Waldir Paiva Mesquita, que hoje atua em Santarém. Klautau faleceu em outubro de 2017.

ACADÊMICOS TAMBÉM TOMAM POSSE

Onze estudantes de Medicina de diferentes faculdades do Estado integram a nova diretoria do Núcleo Acadêmico do Sindmepa e tomaram posse no sábado junto com a nova diretoria do Sindmepa. São alunos da UFPA, Uepa de Belém e Santarém, Cesupa e Unifamaz.

Os diretores do Núcleo Acadêmico tomaram posse para gestão de 2021-2022

O estudante Belmiro Figueiredo Vinente Neto, da Universidade Federal do Pará (UFPA) discursou na festa de posse representando o Núcleo Acadêmico. Para ele, a participação no Núcleo é uma oportunidade ímpar para os acadêmicos conhecerem a realidade da profissão antes mesmo de se formarem. A luta pelos direitos e a qualidade do ensino é um dos objetivos primordiais dos acadêmicos, destacou.

Para Luca Thomas Lins Dalferth, acadêmico de medicina da Unifamaz, também empossado no NA, a participação no Núcleo tem a ver com a possibilidade de participar ativamente do sindicato, alcançar mudanças, tanto na classe médica, como na estudantil. “Nosso lema é, literalmente, lutar pelos direitos e pela qualidade de ensino”, afirmou o estudante durante a festa de posse.

CONVIDADOS E AUTORIDADES LEMBRAM HISTÓRICO DE LUTAS

Diversas autoridades do Estado e de outras cidades prestigiaram a festa dos 40 anos do Sindmepa. O presidente da Federação Médica Brasileira, Casemiro Reis, foi um deles. Ele se disse muito feliz por estar participando da festa dos 40 anos e da posse da nova diretoria do Sindmepa: “Foi aqui em Belém que a nossa entidade teve a sua primeira sede, presidida pelo médico paraense Waldir Cardoso e muito nos honra estar prestigiando nossos colegas neste momento”, destacou.

Para Casemiro, a eleição do grupo para mais um mandato revela o reconhecimento do trabalho da diretoria. “É um grupo que vem se renovando ao longo da sua história. Houve quase 50% de renovação dessa nova diretoria, que já vinha se renovando em eleições anteriores”, ressaltou.

Casemiro Reis discursou durante o evento e parabenizou o Sindmepa pelos 40 anos

Outro que prestigiou a cerimônia de posse e festa dos 40 anos do Sindmepa foi o médico Tadeu Calheiros, ex-presidente e secretário geral do Sindicato dos Médicos de Pernambuco, que vai assumir a presidência da FMB. Para o médico pernambucano “é uma sensação de orgulho ver o sucesso da diretoria do Pará, que tem uma atuação marcante no território nacional”. Ele ressaltou o quanto o Pará se tornou um sindicato de referência no movimento de luta da categoria médica, da saúde, “e poder está participando da posse dessa nova diretoria, num ano que teve uma disputa maior aqui no estado, ter o trabalho de um grupo renovado, realmente mostra que o sindicalismo médico no Brasil tem força, tem renovação e é crescente”.

Calheiros também destacou os maiores desafios que a FMB, como entidade nacional deve enfrentar nos próximos anos. “Nosso maior desafio é a consolidação da Federação, trazendo a participação de cada vez mais estados. A gente precisa unificar, congregar forças, trazendo o protagonismo para cada sindicato de base tenha voz, voto e participação para pautar as questões nacionais que devem ser tratadas pela Federação. Com isso vamos ter uma federação cada vez mais forte, com a participação real dos seus sindicatos de base”.

O presidente do Sindicato dos Médicos do Amazonas, Mário Viana, destacou que “o sindicato dos médicos do Pará está de parabéns pelo que foi apresentado. Um histórico que demonstra realmente a importância desse sindicato, não só no cenário regional, mas a nível nacional e internacional. A participação desse sindicato na Confemel demonstra isso”, disse.

Viana destacou ainda a necessidade de união de forças entre os sindicatos em favor da categoria: “Temos que unir forças junto com os sindicatos de base e a FMB, que é a Federação que demonstra realmente uma vocação de união, de congregação, de ser plural, como devem ser as discussões, especialmente, na área da saúde, onde a autonomia do médico deve ser sempre priorizada”.

Maria do Carmo Lobato discursou representando o Conselho Regional de Medicina

Para o presidente do Sindicato dos Médicos do Grande ABC, José Roberto Murisseti, a participação na festa de posse foi “uma grande alegria porque, conhecendo sindicatos de todo o Brasil e da América Latina, vejo que este é um dos maiores sindicatos do Brasil. Poucos concorrem com o Sindmepa em serviços, em acolhimento ao médico e estrutura. Com a pandemia muitos se encolheram, mas o do Pará, aumentou seu alcance. Por isso estão todos de parabéns”.

Para a vice-presidente da FMB, Janice Painkow, que representou o Sindicato dos Médicos do Tocantins, a festa dos 40 anos do Sindmepa e posse da diretoria só confirma um histórico de lutas do sindicato do Pará. Sobre a participação de mais de 40% de mulheres na nova diretoria, Janice disse que as mulheres estão, gradativamente, assumindo seu lugar também na luta sindical, o que é fundamental para a garantia de direitos no mercado de trabalho. “Hoje o mundo continua, culturalmente, muito machista. Se a gente não ocupar esses espaços, a gente acaba ainda mais massacrada no trabalho. Existem muitos lugares em que as mulheres ainda têm um salário menor que o dos homens”, destacou a médica.

A médica Maria do Carmo Lobato, membro do Conselho Regional de Medicina do Pará, também prestigiou a festa: “Sou sindicalizada e considero muito importante estar com nosso sindicato completando 40 anos. É muito importante, mesmo quando deixou de ser obrigatório você ser sindicalizado, nós vermos que o nosso sindicato está mantendo toda uma força, por que que nós tenhamos um sindicato forte, um sindicato que está melhorando suas instalações e tudo mais. Porque é um sindicato que tem a sua seriedade e seu trabalho reconhecido. Isso é muito importante para nós”.

A Semana do Médico 2021 tem como patrocinadores: Projex, Icatu, Robot Genesis, Amazona Digital, MAG Seguros, Seguros Unimed e Sicredi Belém.

Veja mais
Músico apresenta Através do Tempo na Quarta Musical

Músico apresenta Através do Tempo na Quarta Musical

José Maria Bezerra volta à Quarta Musical do Sindmepa com o show “Através do Tempo”, título do álbum lançado em março deste ano. O músico apresentará o repertório autoral em

Sindmepa Informa – 18.09.2023

Sindmepa Informa – 18.09.2023

PARALISAÇÕES Médicos das UPAs Marambaia, Jurunas e Terra Firme comunicaram ao Sindmepa na ultima sexta-feira que iriam paralisar os atendimentos nas unidades novamente por atraso de pagamento. O último repasse

CFM atualiza termos para publicidade médica

CFM atualiza termos para publicidade médica

Após processo que durou mais de três anos, o Conselho Federal de Medicina atualizou as regras de publicidade médica. Para definir as novas diretrizes foi realizada uma consulta pública, que