WhatsApp: (91) 8895-3102
Afiliado a:

13 milhões de pessoas têm doenças raras no Brasil, segundo Ministério da Saúde

0

O Dia Mundial das Doenças Raras, celebrado no último dia de fevereiro (28), foi criado para chamar a atenção da sociedade para esses problemas que acometem muitos indivíduos. De acordo com o Ministério da Saúde, 1,3 pessoas para cada 2 mil cidadãos são acometidas por doenças raras. Apesar do nome, cerca de 13 milhões de pessoas têm doenças raras no Brasil. Isso porque elas não se restringem a apenas uma enfermidade: estima-se um valor de 8 mil tipos delas.

Em grande parte, as doenças raras se originam dos problemas genéticos e as manifestações são as mais diversas. Os Erros Inatos de Imunidade, por exemplo, causam problemas relacionados ao sistema imunológico. Além disso, são consideradas crônicas e podem levar à morte.

Por apresentarem sintomas diversos e serem problemas crônicos, as doenças raras devem ser diagnosticadas o quanto antes para que o paciente não tenha sua qualidade de vida prejudicada. O teste do pezinho, feito logo após o nascimento, ajuda a detectar cerca de 50 tipos de doenças raras.

No entanto, somente o teste do pezinho não consegue dar conta dos 8 mil tipos de doenças. Os diagnósticos são feitos por testes genéticos e a suspeita de uma doença incomum dificulta seu entendimento e possíveis tratamentos. Para se ter uma ideia, nos países desenvolvidos, em média, o paciente leva cinco anos para fazer o diagnóstico.

Desde 2014, a portaria nº 199 do Ministério da Saúde já prevê diretrizes e financiamento para “reduzir a mortalidade, contribuir para a redução da morbimortalidade e das manifestações secundárias e a melhoria da qualidade de vida das pessoas” acometidas por doenças raras. Porém, mais do que isso é necessário, como facilitar o diagnóstico e tratar essas doenças o mais breve possível.

Outra importante iniciativa é estimular que as pessoas procurem conhecer seu histórico familiar, pois como são doenças ligadas aos genes, essas informações podem facilitar no enfrentamento da doença.

Com informações de Viva Bem Uol

Leave A Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sindicato dos Médicos do Pará