dom

abr 21, 2024

Afiliado a:

Login

Espaço do Médico

dom

abr 21, 2024

Afiliado a:

Espaço Médio

Mulheres fortalecem a categoria médica e o sindicalismo no Brasil

No dia em que celebramos a força e a determinação feminina, o Sindicato dos Médicos do Pará não poderia deixar de parabenizar as mulheres médicas que, dia a pós dia, vêm fortalecendo o exercício da medicina no Brasil. Segundo a Demografia Médica 2020, último levantamento feito pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), elas são 46,6% do total de profissionais atuantes no país. É importante frisar que esse movimento teve início com Elizabeth Blackwell, a primeira mulher a ingressar na faculdade de medicina.

Elizabeth Blackwell nasceu em 1821, na Inglaterra. Ela desafiou a sociedade do fim do século XIX ao ser a primeira mulher a ingressar em uma faculdade de medicina. Em 1847, após ser recusada 12 vezes pela universidade Geneva Medical College, conseguiu ser admitida na instituição de ensino e, em 1849 entrou para a história ao ser a primeira médica do mundo. Além de inspirar outras mulheres ao redor do mundo, Elizabeth foi a responsável por lutar para que o acesso das mulheres à medicina fosse possível.

O levantamento feito pelo CFM mostra ainda a crescente presença feminina na carreira médica ao longo do último século. Em 1910, os homens eram 77,7% e as mulheres, 22,3%. A presença masculina se amplia até 1960, quando chega a 87%, e as mulheres se limitam a 13%. A partir dos anos 1970, as mulheres ampliam sua participação e passam de 15,8% em 1970 para 46,6% em 2020.

De acordo com o Conselho, a análise dos novos registros de médicos nos CRMs entre 2000 e 2019 também mostra a evolução da participação das mulheres na medicina. No ano de 2000, por exemplo, 4.572 homens registraram-se nos conselhos, contra 3.594 mulheres – 56% e 44%, respectivamente.

Evidenciando o aumento da feminilização da medicina, hoje os sindicatos ligados à Federação Médica Brasileira contam com quase 100 dirigentes médicas, somente dois sindicatos da base não contam com mulheres na diretoria. Acompanhando esta tendência, hoje o Sindmepa conta com nove mulheres em sua Diretoria Colegiada e Conselho Fiscal.

Vilma Hutim, médica pediatra e presidente da Sociedade Paraense de Pediatria é uma das mulheres que compõem a atual gestão do Sindmepa. A médica fez parte da Diretoria Colegiada de 2012, em sua quarta gestão atua como membro do Conselho Fiscal do sindicato. Como representante da mulher médica e sindicalista, Vilma conhece os desafios da tripla jornada e parabeniza a todas no dia dedicado a elas.

“Parabéns a todas as mulheres, em especial às mulheres médicas de todas as áreas de atuação dessa grandiosa e complexa medicina. Não desanimemos diante dos desafios, continuemos acreditando com fé e esperança em dias melhores, para que possamos acreditar e fazer cada dia melhor o que fomos comissionadas, sermos mãe, esposa, profissional e médica. Parabéns não só hoje, mas todos os dias. Viva com entusiasmo essa missão”, conclui.

Veja mais
Músico apresenta Através do Tempo na Quarta Musical

Músico apresenta Através do Tempo na Quarta Musical

José Maria Bezerra volta à Quarta Musical do Sindmepa com o show “Através do Tempo”, título do álbum lançado em março deste ano. O músico apresentará o repertório autoral em

Sindmepa Informa – 18.09.2023

Sindmepa Informa – 18.09.2023

PARALISAÇÕES Médicos das UPAs Marambaia, Jurunas e Terra Firme comunicaram ao Sindmepa na ultima sexta-feira que iriam paralisar os atendimentos nas unidades novamente por atraso de pagamento. O último repasse

CFM atualiza termos para publicidade médica

CFM atualiza termos para publicidade médica

Após processo que durou mais de três anos, o Conselho Federal de Medicina atualizou as regras de publicidade médica. Para definir as novas diretrizes foi realizada uma consulta pública, que