WhatsApp: (91) 8895-3102
Afiliado a:

Debate sobre Sindicalismo Médico reuniu especialistas no Sindmepa

0

A história do sindicalismo e seus fundamentos nortearam o debate sobre Sindicalismo Médico que encerrou o I Encontro Médico-Jurídico do Sindmepa, no último sábado, 28. A mesa conduzida pelo diretor, Paulo Bronze recebeu o presidente da Comissão de Relações Internacionais da OAB, Raimundo Cézar Britto; o ex-secretário de saúde do Estado do Pará, Hélio Franco e o diretor de comunicação do Sindmepa, Wilson Niwa.

Cézar Britto deu início ao debate com uma breve explanação sobre a importância do sindicalismo e como suas ações despertaram amor e ódio na sociedade. Para o advogado sindical, médicos e advogados são parecidos, mas é preciso unir a categoria, e ressalta que a união vem como resultado do sentimento de pertencimento à classe trabalhadora.

“O sindicalismo nasceu como forma de reação a exploração direta, a exploração que fazia as pessoas trabalharem em jornadas elásticas de 16 a 17h. Trabalhavam em ambientes insalubres, uma exploração absolutamente clara, e se dizia que a reação era caso de polícia, que se poderia matar. Por isso o Dia Internacional da Mulher decorre da luta das mulheres por melhores condições de trabalho, assim como o Dia do Trabalhador. Tudo isso nasce com movimentos de resistência, não apenas trabalhistas”, reforçou Cézar.

O advogado destacou que o movimento sindical sempre lutou em uma lógica de que quem produz a riqueza deve ser dela beneficiário. O que acabou ameaçando aqueles que se julgavam no direito de ter a propriedade das pessoas. Segundo ele, os sindicatos devem retornar ao seu caminho originário e dizer que política é vida, pois tudo é decidido por meio dela, inclusive, a remuneração com políticas salariais.

Médicos e advogados se reuniram para debater sobre sindicalismo na última mesa do evento

Hélio Franco participou ativamente nos dois dias de evento, relembrou lutas antigas e ações em defesa da categoria médica. O ex-secretário de saúde reforçou a necessidade em se discutir indicadores de saúde e cobrar resoluções dos gestores, pois a bandeira do Sindmepa é saúde pública.

Já Wilson Niwa ressaltou a importância de se ter estratégias para avançar no sindicalismo, como investir na renovação do quadro e estimular novos líderes sindicais, além de estar atento as mudanças impostas no exercício da profissão.

“Com certeza vamos trabalhar para que outros eventos dessa natureza aconteçam, porque nós estamos em um período de muita instabilidade e complexidade em um ambiente volátil, onde as coisas se modificam com muita rapidez. As relações de trabalho e emprego estão mudando a cada dia, então o sindicato também tem que estar atendo e preparado para isso”, frisou Niwa.

Hélio Franco também participou da mesa que deu inicio ao I Encontro Médico-Jurídico do Sindmepa

O diretor do Sindmepa ainda fez um balanço sobre o evento e destacou o início de uma caminhada em busca da reformulação e continuidade do sindicalismo médico. “Esse evento foi o ponto de partida para que cada vez mais médicos e, principalmente, as novas gerações de médicos cheguem e se juntem aos mais antigos para lutarmos essa batalha juntos”.

O I Encontro Médico-Jurídico do Sindicato dos Médico do Pará foi organizado pela assessora jurídica, Silvia Mourão. De acordo com a advogada, o evento foi positivo para ambas as categorias, pois abordou assuntos sensíveis, como contratação, remuneração, previdência e assistência.

“Sabemos do quadro caótico e de incertezas que vivem os integrantes da categoria médica. Nosso objetivo é fazer tantos eventos quantos forem necessários para a conscientização de direitos, deveres, cumprindo a missão institucional de bem defender médicos e médicas e contribuir para que o trabalho seja digno, decente e respeitado”, resumiu Silvia.

Leave A Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sindicato dos Médicos do Pará