WhatsApp: (91) 8895-3102
Afiliado a:

Primeiro caso de monkeypox confirmado no Pará. Saiba como identificar a doença

0

Em comunicado divulgado nesta terça-feira, 2, a Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (Sespa) confirmou o primeiro caso de Monkeypox, conhecida como varíola dos macacos, no Pará. O caso foi registrado em uma pessoa do sexo masculino, de 27 anos, que buscou atendimento em uma UPA de Ananindeua. O paciente é residente de Belém e tem histórico de viagem recente por São Paulo e Rio de Janeiro.

Segundo a Sespa, o paciente está em isolamento domiciliar assim como seus contatos, sendo monitorado pela equipe de vigilância do município de Ananindeua.

Outros dois casos suspeitos de Monkeypox estão sendo investigados nos municípios de Santarém e Parauapebas. O comunicado reforça ainda que não há evidências de transmissão comunitária da doença no Estado.

Monkeypox

A doença é causada pelo vírus monkeypox, que pertence à mesma família do vírus da varíola humana. Geralmente ela se manifesta de forma leve, os principais sintomas são febre, dor e o aparecimento de lesões e feridas em partes específicas do corpo, como rosto, nas extremidades do corpo, como a palma das mãos e na sola dos pés, na mucosa da boca, na genitália e nos olhos.

A transmissão ocorre de uma pessoa infectada para outra por contato próximo com lesões, fluidos corporais, gotículas respiratórias e materiais contaminados, como roupas de cama.

Atualmente não há tratamento específico, mas os quadros clínicos são leves e requerem cuidado e observação das lesões, além de suporte clínico e o alívio dos sintomas, como dor e febre. É importante ainda manter os hábitos saudáveis com a alimentação e a hidratação, para que o organismo tenha boas condições de combater o vírus.

Para se prevenir contra a doença é necessário manter a higienização das mãos com água e sabão ou álcool em gel, e utilizar máscara, principalmente, em locais fechados.

Com informações de Portal G1

Leave A Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sindicato dos Médicos do Pará