sex

abr 12, 2024

Afiliado a:

Login

Espaço do Médico

sex

abr 12, 2024

Afiliado a:

Espaço Médio

Sindmepa cobra posição da Sesma sobre atrasos de pagamentos de médicos

Para pedir explicações sobre os constantes atrasos de pagamentos aos médicos das Unidades de saúde de Belém, diretores do Sindicato dos Médicos do Pará reuniram-se na manhã desta sexta-feira, 4, com o secretário de saúde de Belém, Maurício Bezerra. O pedido de audiência já vinha sendo formulado há meses, mas a Sesma ainda não tinha confirmado com a diretoria do Sindmepa. Nesta semana, a paralisação de médicos das Upas da Marambaia e Jurunas precipitou a reunião entre a entidade e o representante da gestão municipal. Segundo o titular da Sesma, a Organização Social que administra as Upas já foi notificada pela Prefeitura de Belém.

A Sesma informou que o contrato firmado com as Organizações Sociais estabelece que as OSs garantam até 90 dias de pagamento, mesmo que haja algum atraso no repasse por parte da Secretaria. No caso específico das Upas da Marambaia e Jurunas são administradas pela OS InSaúde. O secretário admitiu que há um atraso de dois meses no pagamento da OS, o que não justifica a suspensão de pagamento dos médicos pela empresa. Segundo o titular da Sesma, a Prefeitura já notificou a empresa por conta desse atraso. Além disso, as Organizações Sociais podem ser interditadas em território nacional devido aos atrasos de pagamento aos médicos de Belém. Segundo Maurício Bezerra, o repasse à OS deve ser regularizado até o dia 10 de novembro. Já o repasse às Upas gerenciadas pela Secretaria estão em dia, são elas: Sacramenta e Icoaraci.

Durante o encontro, Wilson Machado, diretor de comunicação do Sindmepa, questionou o secretário sobre o pagamento aos médicos anestesistas ligados à Coopanest, que também reclamam atraso de pagamento. De acordo com a Sesma, foi realizado apenas um repasse, dos inúmeros atrasados, que corresponde a cerca de 10%, no dia 25 de outubro. Os representantes da Secretaria estiveram em reunião com a presidente Luana Relvas na semana anterior, onde negociou um novo repasse, a definir o valor, assim que a secretaria receber novos recursos.

Maurício Bezerra explicou que na próxima semana serão realizados os pagamentos dos profissionais listados em folhas de plantões. Já os profissionais sem vínculo com a Sesma, deverão aguardar o repasse das OSs.

Sobre a falta de materiais e insumos básicos no HPSM do Guamá, a Sesma informou que esteve reunida recentemente com o Ministério Público para prestar esclarecimentos. Segundo a Secretaria, as dívidas com os fornecedores vêm sendo pagas a medida em que recebe recursos. Todavia a falta de alguns medicamentos deve-se principalmente à falta no mercado, independente de atrasos nos pagamentos. Durante a reunião, os diretores do Sindmepa foram informados que o funcionamento do tomógrafo do Guamá foi reestabelecido e que o Diretor Clínico da unidade já foi designado.

Estiveram presentes na reunião os diretores Erivaldo Pereira e Wilson Machado, além do Assessor Jurídico do Sindmepa, Yúdice Andrade e da Assessora de Imprensa, Luana Vidal. Para que o Sindmepa siga acompanhando e cobrando resolução de possíveis atrasos de pagamentos e falta de condições de trabalho é preciso que os médicos continuem enviando suas demandas ao Sindicato, por meio do canal disponível no site: http://sindmepa.org.br/sindmepa-demanda/

Veja mais
Músico apresenta Através do Tempo na Quarta Musical

Músico apresenta Através do Tempo na Quarta Musical

José Maria Bezerra volta à Quarta Musical do Sindmepa com o show “Através do Tempo”, título do álbum lançado em março deste ano. O músico apresentará o repertório autoral em

Sindmepa Informa – 18.09.2023

Sindmepa Informa – 18.09.2023

PARALISAÇÕES Médicos das UPAs Marambaia, Jurunas e Terra Firme comunicaram ao Sindmepa na ultima sexta-feira que iriam paralisar os atendimentos nas unidades novamente por atraso de pagamento. O último repasse

CFM atualiza termos para publicidade médica

CFM atualiza termos para publicidade médica

Após processo que durou mais de três anos, o Conselho Federal de Medicina atualizou as regras de publicidade médica. Para definir as novas diretrizes foi realizada uma consulta pública, que