WhatsApp: (91) 8895-3102
Afiliado a:

Sindmepa Informa – 11.12.2022

0

TRANSAMAZÔNICA
Médicos do Hospital Regional da Transamazônica, em Altamira, suspenderam parcialmente suas atividades, no último dia 1º, para reivindicar o pagamento de honorários em atraso pela Pró-Saúde, que repassou a administração do Hospital para o Instituto Acqua, porém saiu deixando pendências financeiras. O Sindmepa participou de uma conversa mediada pelo Ministério Público tentando uma solução para a crise. A questão de administração da saúde via OS já se mostrou um fracasso, mas parece que os gestores públicos ainda não entenderam isso.

METROPOLITANO
E por falar em Pró-saúde, médicos do Hospital Metropolitano denunciam que, apesar do lançamento em contracheque do 13° salário, nenhum colaborador recebeu o repasse por parte da Pró-Saúde. A organização social deixou a gestão do Hospital na última terça-feira, 06, e segundo os médicos, levando as carteiras de trabalho dos profissionais. A assessoria jurídica do Sindmepa já foi acionada para tomar as medidas cabíveis junto às entidades responsáveis.

REPÚDIO
E em meio à mudança de gestão no Metropolitano, a equipe de reabilitação do Hospital (fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais e fonoaudiólogos) emitiu nota repudiando o “descaso e desrespeito” com os profissionais. Segundo a nota, a empresa que assumiu a gestão da unidade está terceirizando o serviço de reabilitação para uma segunda empresa. E esta fez uma proposta com valores de pagamento incompatíveis com o mercado e com o nível técnico e científico dos especialistas.

PARALISAÇÃO I
Médicos lotados nas Unidades de Pronto Atendimento da Cidade Nova, Icuí, Mariguella, Distrito e as unidades de urgência e emergência da Jaderlândia, PAAR e Águas Lindas anunciaram que vão paralisar suas atividades a partir do dia 13, caso não haja o pagamento da remuneração referente ao mês de outubro, cujo prazo máximo é até o dia 12 de dezembro. Os médicos reclamam que a empresa Health & Care pagou somente 70% dos salários de setembro no último dia 10 de novembro e os restantes 30% foram repassados no último dia 5.

PARALISAÇÃO II
Médicos da Unidade de Pronto Atendimento do Jurunas também comunicaram que vão paralisar atividades na UPA a partir desta terça-feira, 13, por tempo indeterminado. O movimento prevê o atendimento de 30% do fluxo na unidade, seguindo o protocolo de Manchester. A paralisação dos médicos reivindica o pagamento dos plantões atrasados. De acordo com o informe, o último pagamento aos médicos foi referente ao mês de setembro. Em última análise, a responsabilidade é da Prefeitura de Belém, que terceiriza serviço essencial como a saúde.

COOPANEST
A Coopanest, que reúne os anestesistas que prestam serviço ao município, também anunciou paralisação por atraso de pagamento. Esses, a partir das 23h59 do dia 09/12, ou seja, na última sexta-feira. O comunicado ressalta que a Sesma havia prometido regularizar os pagamentos, mas a promessa não foi cumprida.

AGENDA CULTURAL
O Cineclube Sindmepa exibe nesta terça-feira, 13, o filme “Z”, dirigido por Costa Gravas, às 19h. No longa, o assassinato de um político liberal é retratado no caso Lambrakis. Já a Quarta Musical recebe o show de Ruth Costa. Conhecida por ser u ma representante da mais nova geração do samba paraense. O show tem início às 20h, com entrada franca, no Cineteatro e transmissão ao vivo no Instagram @Sindmepa.

Leave A Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sindicato dos Médicos do Pará