sáb

abr 20, 2024

Afiliado a:

Login

Espaço do Médico

sáb

abr 20, 2024

Afiliado a:

Espaço Médio

Médicos da Upa Marambaia vão parar por falta de pagamento

Médicos da UPA Marambaia comunicaram ao Sindmepa, à Sesma e à população que vão paralisar os atendimentos a partir do dia 1° de fevereiro, por tempo indeterminado. Os profissionais reivindicam a regularização dos pagamentos, já que o último repasse realizado foi referente apenas os dez primeiros dias do mês de novembro de 2022. O movimento irá restringir os atendimentos a 30% do fluxo, atendendo só os casos mais grave.

Segundo o comunicado, o restante do pagamento atrasado do mês de novembro e o pagamento integral do mês de dezembro, deveriam ter sido feitos aos médicos, respectivamente, nos dias 20 de dezembro e 20 de janeiro.

A paralisação das atividades na Upa Marambaia tem se tornado constante devido à falta de pagamento pelos plantões realizados na unidade. Os médicos relatam que devido aos atrasos, passam por uma situação financeira insustentável. O cenário ocorre há pelo menos um ano, permeado por promessas de regularização nunca concretizadas.

A categoria afirma que está aberta a negociação, mesmo no período de paralisação, bem como estarão disponíveis para realizar Assembleia Geral Extraordinária para demais deliberações, como prorrogação ou finalização do movimento de paralisação.

Veja mais
Músico apresenta Através do Tempo na Quarta Musical

Músico apresenta Através do Tempo na Quarta Musical

José Maria Bezerra volta à Quarta Musical do Sindmepa com o show “Através do Tempo”, título do álbum lançado em março deste ano. O músico apresentará o repertório autoral em

Sindmepa Informa – 18.09.2023

Sindmepa Informa – 18.09.2023

PARALISAÇÕES Médicos das UPAs Marambaia, Jurunas e Terra Firme comunicaram ao Sindmepa na ultima sexta-feira que iriam paralisar os atendimentos nas unidades novamente por atraso de pagamento. O último repasse

CFM atualiza termos para publicidade médica

CFM atualiza termos para publicidade médica

Após processo que durou mais de três anos, o Conselho Federal de Medicina atualizou as regras de publicidade médica. Para definir as novas diretrizes foi realizada uma consulta pública, que