seg

jul 22, 2024

Afiliado a:

Login

Espaço do Médico

seg

jul 22, 2024

Afiliado a:

Espaço Médio

Paralisação na UPA da Marambaia reivindica pagamentos atrasados

Médicos da UPA Marambaia estão com os atendimentos paralisados desde o dia 25 de dezembro, eles informaram que o movimento é por tempo indeterminado, até que a Sesma providencie a regularização dos plantões realizados em outubro e novembro. Segundo os médicos, o último pagamento realizado foi referente ao mês de setembro. O movimento irá restringir os atendimentos a 30% do fluxo, mantendo assistência somente aos pacientes laranjas e vermelhos, que são casos mais graves de acordo com a classificação de Manchester. O Sindmepa já solicitou audiência ao secretário de saúde Pedro Anaisse para solucionar a situação.

Segundo o comunicado, os médicos vêm solicitando há várias semanas informações sobre o repasse à equipe médica e não obtiveram retorno, assim como por parte da Secretaria de Saúde e da direção técnica da unidade.

O comunicado ainda relata que devido aos atrasos, os profissionais passam por uma situação financeira insustentável e de insegurança no sustento familiar. A paralisação das atividades na unidade não foi a única realizada em 2022, já que o cenário ocorre há pelo menos um ano, permeado por promessas de regularização nunca concretizadas.

“O descaso com os médicos e com a população que depende das Unidades de Pronto Atendimento tem ocorrido há muito tempo, mas a cada dia piora. Além de atrasar o pagamento de toda a equipe da saúde, de limpeza e segurança, tornando impossível o sustento de cada profissional e de suas respectivas famílias. As unidades de saúde estão com falta de medicações básicas, soros, jelcos, exames, como gasometria arterial, radiografia e falta de infraestrutura com ar condicionados inoperantes. Tudo isso tem gerado caos na saúde e prejuízo diário à população mais humilde”, detalha um médico da UPA Marambaia.

Os médicos ressaltam ainda que a paralisação das atividades deve seguir até que sejam efetuados os pagamentos dos meses em atraso, outubro e novembro, e diante do compromisso legal de assumir um cronograma organizado e justo para o recebimento dos plantões médicos.

O documento frisa que a categoria está aberta a negociação, mesmo no período de paralisação, bem como estarão disponíveis para realizar Assembleia Geral Extraordinária para demais deliberações, como prorrogação ou finalização do movimento de paralisação.

Veja mais

Mais populares: