seg

abr 22, 2024

Afiliado a:

Login

Espaço do Médico

seg

abr 22, 2024

Afiliado a:

Espaço Médio

Doenças respiratórias evitáveis são a maior causa de morte entre crianças indígenas

Dados do Sistema de Atenção à Saúde Indígena (Sesai) apontam que o índice de mortalidade entre os povos indígenas, principalmente na faixa a partir dos 50 anos é 40% maior que no restante da população. Contudo, os números relacionados à mortalidade infantil soam ainda mais preocupantes. Entre os óbitos em menores de um ano, 64,1% foram classificados como evitáveis, sendo que 21,6% por causas reduzíveis por ações de diagnóstico e tratamento adequado, cuja principal causa são doenças respiratórias.

Os índices foram apontados pelo médico e pesquisador João Guerreiro, durante o debate sobre saúde indígena promovido pelo Sindmepa, por meio do seu Núcleo Acadêmico, como parte da programação Diálogos Amazônicos. A mesa contou com a participação do diretor do Sindmepa, Waldir Cardoso; do assessor jurídico, Yúdice Andrade e da médica, Eliniete Fidelis.

As doenças parasitárias e infectocontagiosas seguem entre as principais causas de morte entre os indígenas. Tuberculose e Malária ainda são um sério problema nas aldeias. Segundo o médico, merecem atenção especial dos órgãos públicos. Já Sífilis e Hepatites virais aparecem em baixos índices.

Além disso, quadros de obesidade, diabetes e sobrepeso têm se intensificado. O médico também ressaltou as patologias sociais, como a violência e o consumo de álcool e drogas. A saúde mental da população indígena também necessita de atenção especial. Os dados mostram que os indígenas são os que mais cometem suicídio (15,2 óbitos/100 mil habitantes), quando comparados aos brancos (5,9/100 mil habitantes) e negros (4,7/100 mil habitantes).

A cobertura vacinal também foi pautada durante o evento. O médico João Guerreiro afirmou que grande parte dos DSEI – Distrito Sanitário Especial Indígena, tem cumprido com as metas estabelecidas.

Um dos grandes desafios enfrentados com a vacinação nas aldeias ocorreu durante a pandemia de Covid-19, quando algumas entidades religiosas desestimulavam a imunização, relembrou a médica Eliniete Fidelis.

“O evento escancara o fato de que a dívida social que temos com os povos originários está longe de ser saldada. Fiquei impactado com a informação de que, durante a pandemia, igrejas entraram nas aldeias recomendando que os indígenas não se vacinassem. Um crime de lesa saúde”, afirmou Waldir Cardoso.

Os resultados dos debates vão compor o relatório que será enviado ao Governo Federal como contribuição da sociedade civil às discussões sobre os problemas da Amazônia.

Veja mais
Músico apresenta Através do Tempo na Quarta Musical

Músico apresenta Através do Tempo na Quarta Musical

José Maria Bezerra volta à Quarta Musical do Sindmepa com o show “Através do Tempo”, título do álbum lançado em março deste ano. O músico apresentará o repertório autoral em

Sindmepa Informa – 18.09.2023

Sindmepa Informa – 18.09.2023

PARALISAÇÕES Médicos das UPAs Marambaia, Jurunas e Terra Firme comunicaram ao Sindmepa na ultima sexta-feira que iriam paralisar os atendimentos nas unidades novamente por atraso de pagamento. O último repasse

CFM atualiza termos para publicidade médica

CFM atualiza termos para publicidade médica

Após processo que durou mais de três anos, o Conselho Federal de Medicina atualizou as regras de publicidade médica. Para definir as novas diretrizes foi realizada uma consulta pública, que