sáb

maio 18, 2024

Afiliado a:

Login

Espaço do Médico

sáb

maio 18, 2024

Afiliado a:

Espaço Médio

Incêndio no Hospital Municipal de Santarém provoca caos na saúde no Baixo Amazonas

O Sindicato dos Médicos do Pará (Sindmepa) acompanha atentamente a situação do Hospital Municipal Dr. Alberto Tolentino Sotelo (HMS) em Santarém, oeste do Pará, que permanece interditado. Sexta-feira (22) encerra o prazo para a Prefeitura de Santárem apresentar ao Tribunal de Justiça do Pará os projetos de adequação das instalações elétricas, rede de gases, da prevenção e combate a incêndio, todos são exigências legais para reabertura do Hospital.

Desde 2021 o Hospital responde a um processo no TJE determinando que sejam corrigidas uma série de inconformidades apontadas pelo Ministério Público Estadual (MPE). De acordo com as denúncias do MPE, o Hospital estava funcionando sem as licenças da Secretaria Estadual de Saúde, Secretaria de Meio Ambiente, Vigilância Sanitária e Corpo de Bombeiros.

O fechamento do único Hospital ‘porta aberta’ da região aconteceu no dia 12 de setembro, quando um incêndio destruiu principalmente o berçário e a ala da obstetrícia. As outras alas do Hospital também ficaram sob risco e foram transferidos imediatamente cerca de 230 pacientes, desde casos mais leves a mais graves que estavam internados nos diversos setores do HMS.

“Acompanhamos essa situação com muita preocupação porque a interdição torna mais crítica a situação da saúde pública no Baixo Amazonas. Perdemos os únicos sete leitos de UTI da rede pública municipal e o Hospital Municipal é responsável pelo atendimento de pacientes de Santarém e outros 19 munícipios da região. Vivemos uma situação emergencial gravíssima, mas só deve haver a desinterdição se a Lei estiver sendo cumprida, para garantir que todas as condições de segurança estejam sendo cumpridas conforme já foram apontadas em juízo”, destaca a Diretora do Sindmepa, Nástia Irina Santos.

A diretora ressalta que a interdição do Hospital de Santarém deixa ainda mais evidente a necessidade de ampliação da capacidade de atendimento médico no município, que hoje está abaixo do que determina a Organização Mundial da Saúde (OMS) com a necessidade de 1 a 3 leitos de UTI por 10 mil habitantes, o que totaliza 30 leitos de UTI, no mínimo, para Santarém que tem apenas 7 leitos de UTI no Hospital Municipal.

“É crítico o déficit de leitos hospitalares no município de Santarém e na região do Baixo Amazonas. Os governos municipais e o governo do Estado têm que ampliar urgentemente os leitos na região para diminuir o sofrimento da população”, avalia Nástia Irina salientando que “Santarém dispõe de apenas 153 leitos no Municipal e só a cidade necessitaria hoje de 3 a 5 leitos para cada mil habitantes, ou seja, pelo menos 900 leitos para a cidade toda. É uma situação emergencial”. A diretora lembra que o Secretário de Infraestrutura de Santarém tem declarado que não há como concluir o Hospital Materno Infantil antes do ano de 2024. “Não podemos aceitar essa situação de descaso com a população do Baixo Amazonas. O Sindmepa reitera seu compromisso de luta pela melhoria da qualidade dos serviços de saúde pública; e pela garantia de condições de trabalho seguras e dignas para os trabalhadores da saúde no Pará”, finaliza Nástia Irina.

Veja mais
Novo Acordo Coletivo de Trabalho garante melhorias aos médicos da EBSERH

Novo Acordo Coletivo de Trabalho garante melhorias aos médicos da EBSERH

Em Assembleia Geral Extraordinária, realizada na segunda-feira (13), médicos prestadores de serviços à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares - EBSERH, tomaram conhecimento do Acordo Coletivo de Trabalho firmado a nível

Palavra de Médico – Erisipela

Palavra de Médico – Erisipela

Erisipela é um processo infeccioso da pele e pode atingir a gordura do tecido celular. A doença é causada por uma bactéria que se propaga pelos vasos linfáticos. Pode ocorrer

TJ mantém decisão de afastar prefeito de Santarém caso não cumpra sentença de melhorias em saúde

TJ mantém decisão de afastar prefeito de Santarém caso não cumpra sentença de melhorias em saúde

O Tribunal de Justiça do Pará manteve a decisão do juiz Claytoney Ferreira, de Santarém, de afastar o prefeito Nélio Aguiar (UB), caso ele não cumpra em 60 dias sentença