Afiliado a:

Médicos de Parauapebas devem deixar hospital geral até o final do mês

Em Parauapebas, médicos continuam em pé de guerra com a empresa Gamp – OS contratada pela prefeitura municipal para gerenciar o Hospital Geral Evaldo Benevides. De acordo com relatos de médicos do local, devido a total falta de habilidade de gestão por parte da empresa, muitos setores do novo Hospital já estão sem cobertura de médicos, pois o serviço aumentou e não houve adequação do corpo clínico para atender a todos os setores. A situação deve piorar em setembro, pois boa parte dos médicos não aceitando a redução de salário imposta pela empresa, agravada pela perda de direitos trabalhistas e na aumento carga de trabalho, já informaram que vão se afastar das atividades do Hospital no final deste mês.

O Sindmepa solicitou ao Ministério Público e ao Conselho Municipal de Saúde que peçam à empresa Gamp a escala de trabalho de médicos de setembro de forma a dar segurança à população com garantias de que tem médicos para substituir os que não vão fazer contrato com a Gamp. Além de ficarem em alerta para cobrar os documentos destes médicos com seus cadastros no CRM Pará, pois o processo seletivo da Gamp está sendo feito por meio de mídias sociais e a chance de aparecerem falsos médicos é muito grande.

Médicos clínicos da internação, pediatria, ortopedia, ginecologia, cirurgia geral, dentre outros, já estão protocolando seus pedidos de afastamento do trabalho no Hospital e vão manter-se apenas nos postos de saúde e UPA. Este mês, o Sindmepa esteve presente ao município por duas vezes tentando encontrar soluções para o problema, e até agora aguarda que a empresa marque reunião com a presença de sua assessoria jurídica para discutir contratualização e outros direitos.

 

Deixar um comentário