Afiliado a:

Nas UPAs de Icoaraci e Sacramenta faltam médicos e medicamentos

Diretores do Sindmepa promoveram nesta semana visitas à Unidades de Pronto Atendimento (UPA) de Icoaraci, constatando diversos problemas, que incluem desde a falta de medicamentos até a falta de médicos. A unidade do distrito administrativo de Icoaraci, que tem mais de cinco anos de inaugurada, é a que apresenta mais problemas, por se tratar da única unidade a atender a demanda do distrito. O Sindicato enviou ofício à Sesma para discutir os problemas.

“É inadmissível e desumano que uma pediatra atenda sozinha a uma demanda que chega a 105 pacientes por dia”, afirma Lafayette Monteiro, um dos diretores que participaram da visita à Icoaraci. A dificuldade de médicos é provocada pela ausência de uma equipe com quatro clínicos na UPA, uma exigência para funcionamento de UPAs desse porte que não é cumprida pelo município de Belém, que mantém somente três clínicos nos plantões.

A equipe também recebeu a notícia da falta frequente de alguns medicamentos, de importância para os casos de urgência e emergência. Com relação ao laboratório, que só funciona até às 20h, podendo levar a transtornos para os pacientes portadores de doenças que necessitam de exames complementares de urgência. O relatório recomenda o funcionamento durante 24h do laboratório.


Outro problema registrado pelos diretores do Sindmepa durante a visita foi a presença de dois médicos atendendo em uma única sala, o que resulta em constrangimento, tanto para os médicos como para o usuário, que não tem qualquer privacidade. “O curioso é que ao lado deste consultório existe uma sala vazia que poderia ser perfeitamente ocupada para consultas médicas”, observa Erivaldo Pereira, outro diretor que participou da visita.

A sujeira generalizada na unidade e a falta de condições no conforto médico também não passou despercebida pelos médicos, que escreveram: “espaço físico do conforto médico sucateado, como colchões sujos e alguns com sinais de fungos, porta de banheiros danificadas, sem iluminação e ar condicionados com defeito e fazendo muito barulho”.

A equipe também promoveu visita técnica à UPA da Sacramenta, inaugurada há um ano que também convive com os problemas de falta de medicamentos, falta de um quarto profissional de medicina e o fechamento do laboratório no horário noturno. O diretor Carlos Sinimbú também participou da visita à Sacramenta e informou que os relatórios serão enviados aos órgãos competentes para que sejam tomadas providências. O Sindmepa também já enviou ofício à Secretaria de Saúde de Belém (Sesma) solicitando audiência para tratar dos problemas encontrados.

Deixar um comentário